Cerca de 828 milhões de pessoas com fome no mundo

Pandemia aumentou a fome
Pandemia aumentou a fome Direitos de autor Farah Abdi Warsameh/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nações Unidas dizem que pandemia fez disparar a fome para números recorde

PUBLICIDADE

O mundo está a perder a batalha contra a fome. O alerta chega da Organização das Nações Unidas. 

O relatório da ONU divulgado esta quarta-feira indica que o número de pessoas afetadas pela fome aumentou em 150 milhões durante a pandemia para cerca de 828 milhões de pessoas. Os números são ainda mais dramáticos se falarmos sobre as pessoas que tiveram dificuldades graves ou moderadas na obtenção de alimentos.

Maximo Torrero, economista da Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO), sublinha que o estudo também revela o aumento substancial da pobreza extrema e da desigualdade e destaca os maus resultados de todos os indicadores de nutrição. 

A situação é particularmente preocupante na Ásia, com 20% da população a enfrentar a fome em 2021. No mesmo período, no continente africano, 9% da população sofria de fome, e na América Latina e nas Caraíbas, 8,6%. 

As previsões para este ano são preocupantes, com a guerra na Ucrânia a perturbar as cadeias de abastecimento e a provocar o aumento dos preços dos alimentos, da energia e dos fertilizantes.

Se nada mudar, o planeta falhará o objetivo de erradicar a fome até 2030. A ONU estima que nesse ano haverá cerca de 670 milhões de pessoas a passar fome, um número semelhante ao registado em 2015.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mais de 250 milhões de pessoas sofrem de insegurança alimentar aguda

FAO diz que país vive uma crise histórica

Josep Borrell: Rússia "está a provocar fome no mundo"