EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Ambiente político em Angola menos tenso na primeira semana de campanha

Luís Jimbo, Observatòrio Eleitoral Angolano
Luís Jimbo, Observatòrio Eleitoral Angolano Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  João Peseiro MonteiroJosé Kundy
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No final da primeira semana de campanha eleitoral em Angola, regista-se uma maior tranquilidade relativamente ao período pré-eleitoral, afirma Luís Jimbo do Observatório Eleitoral Angolano. Partidos políticos também apelam à serenidade, apesar das divergências.

PUBLICIDADE

A primeira semana de campanha eleitoral em Angola decorreu de forma mais tranquila. A temperatura do período pré-eleitoral desceu consideravelmente e o tom dos candidatos tornou-se também mais positivo.

Essa é a análise de Luís Jimbo, do observatório eleitoral angolano:

"Esta semana que agora corre da campanha eleitoral, nos termos da lei, e o ambiente de pré-campanha que havia sido lançada pelos partidos políticos, esta está mais pacífica até agora, comparando com a anterior. E também, a consciência cívica do cidadão está a exigir dos candidatos que tragam mensagens daquilo que querem fazer para o país.

Os candidatos estão a incidir sobre conteúdos de promessa eleitoral, isto é fundamental porque no início tentou-se esquivar esta questão."

Fez-se uma pré-campanha animada no ataque pessoal, naquilo que mais dá "likes" e naquilo que mais cria comentário
Luís Jimbo
Observatório Eleitoral Angolano

Esta é um postura assumida também pelos partidos políticos, como explicou à euronews Nelito Ekuikui, da UNITA, o principal partido da oposição:

"Aprendemos que na turbulência não se vence, só se pode vencer na serenidade. Então vamos ajudando a serenar o ambiente político. É verdade que, aqui ou acolá há sempre um ou outro incidente mas ainda assim eu considero o ambiente político bastante sereno."

Também o MPLA, no poder, tem pedido aos apoiantes que evitem práticas que manchem o processo eleitoral.

Os momentos de tensão vão persistir até à eleições do dia 24 de agosto como demonstra a recusa de uma marcha da oposição este sábado em Luanda, com autoridades e promotores a esgrimirem argumentos divergentes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak

Modi reivindica vitória nas eleições gerais da Índia

Primeiro-ministro Modi perto da vitória nas eleições da Índia