EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

80 homens em tribunal na África do Sul

Mulheres protestam diante do tribunal de Krugersdorp, África do Sul
Mulheres protestam diante do tribunal de Krugersdorp, África do Sul Direitos de autor AP Photo/Shiraaz Mohamed
Direitos de autor AP Photo/Shiraaz Mohamed
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Grupo e suspeito de, alegadamente, violação em grupo de oito mulheres

PUBLICIDADE

Mais de 80 homens compareceram num tribunal da África do Sul, sendo suspeitos de, alegadamente, participarem numa violação coletiva de oito mulheres e de assalto à mão armada.

Os crimes ocorreram na semana passada, perto de Krugersdorp, uma pequena cidade a oeste de Joanesburgo, quando uma equipa filmava um vídeo musical numa mina desativada.

Apesar dos abusos contra mulheres serem habituais na África do Sul, os contornos violentos do crime chocaram a sociedade.

O ministro sul-africano para a Polícia Bheki Cele sublinha que "o que aconteceu em Krugersdorp é uma vergonha para a nação. Quando vemos essas pessoas e percebemos que não são apenas uma história, são seres humanos... Estão lá, são jovens, falamos com elas e percebemos a destruição que não é temporária. Algumas dessas destruições são permanentes nessas jovens".

Os suspeitos foram detidos numa mina desativada e são, alegadamente, mineiros ilegais. Conhecidos como "zama-zamas", estes homem escavam ouro nos muitos poços de minas fechados da área de Joanesburgo e são, de acordo com as autoridades locais, na sua maioria, imigrantes ilegais... Os "zama-zamas" são também acusados de crimes generalizados na área, segundo os habitantes locais.

"Temos protestado sobre a deterioração do Estado de Direito no nosso país. Foi preciso que este tipo de crime acontecesse para que pudéssemos colocar a questão da imigração ilegal no mapa. Por isso, estamos aqui para apoiar as vítimas deste crime, mas também para dizer que o tempo urge, para o atual Governo e para o atual partido no poder que não levaram estas questões a sério", acusa uma manifestante que participou num protesto em Joanesburgo.

As autoridades sul-africanas afastaram, no entanto, qualquer ligação entre as violações ocorridas na semana passada e os tiroteios em dois bares da localidade de Soweto, perto de Joanesburgo, a 10 de julho, onde morreram 19 pessoas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataques mortais na África do Sul

Dois tiroteios em bares na Á´frica do Sul

Duas dezenas de menores morrem em discoteca na África do Sul