This content is not available in your region

Norte-americana Brittney Griner condenada a nove anos de prisão na Rússia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Basquetebolista norte-americana  Brittney Grine atrás das grades
Basquetebolista norte-americana Brittney Grine atrás das grades   -   Direitos de autor  Evgenia Novozhenina/Pool Photo via AP

A basquetebolista norte-americana Brittney Griner foi condenada na Rússia a nove anos de prisão, por alegado tráfico de droga. A desportista, duas vezes medalha de ouro olímpica, foi detida em fevereiro, no aeroporto de Sheremetyevo, na posse de um vaporizador contendo óleo de canábis.

O tribunal de Khimki, nos arredores de Moscovo, considerou Griner culpada na acusação de posse de droga e condenou a atleta dos Estados Unidos "a nove anos de prisão numa colónia penitenciária", dando seguimento ao pedido do Ministério Público russo

A juíza Anna Sotnikova disse ter tido em consideração a confissão de culpa e as conquistas desportivas da ré, tendo ainda incluído na pena o tempo já passado pela condenada em prisão preventiva. A magistrada ordenou ainda a destruição do óleo de canábis apreendido a Griner, avança a agência russa Tass.

O Presidente dos Estados Unidos da América já reagiu à condenação de Griner. Joe Biden considera a decisão "inaceitável".

"Exijo à Rússia a libertação imediata para que ela possa regressar para a sua esposa, os seus próximos e os colegas de equipa", afirmou o líder norte-americano, num comunicado poucos instantes após o anuncio do veredicto.

Biden assegurou estar empenhado "sem descanso" na missão de "explorar todas as vias possíveis" para conseguir a libertação de Griner.

Os advogados da basquetebolista anunciaram a intenção de recorrer da sentença.

O jornal Guardian indica que uma condenação deste género na Rússia pode fazer de um procedimento que permite ao Kremlin avançar para uma troca de prisioneiros com países estrangeiros, através de um perdão ou de uma redução de pena dos implicados, sem revelar no entanto uma clara ingerência na justiça.

Tem sido noticiado estar em curso uma negociação entre o Kremlin e a Casa Branca para a troca de Brittney Griner e o antigo militar Paul Whelan, preso na Rússia por alegada espionagem, pelo negociante de armas  Viktor Bout, o apelidado "comerciante da morte", condenado nos Estados Unidos a 25 anos de prisão.

Outras fontes • AFP, Tass