EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

"Cerrámos os punhos a lutar pelo nosso destino"

Volodymyr Zelenskyy, presidente da Ucrânia
Volodymyr Zelenskyy, presidente da Ucrânia Direitos de autor DIMITAR DILKOFF/AFP or licensors
Direitos de autor DIMITAR DILKOFF/AFP or licensors
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Zelenskyy deixa mensagem à nação no Dia da Independência da Ucrânia, data em que se assinalam seis meses de guerra.

PUBLICIDADE

A Ucrânia assinala, esta quarta-feira, o Dia da Independência, na mesma data em que se cumprem seis meses de guerra. Neste dia importante, Volodymyr Zelenskyy deixou uma forte mensagem à nação.

Temos vindo a aguentar durante seis meses. É difícil para nós, mas cerrámos os punhos a lutar pelo nosso destino
Volodymyr Zelenskyy
Presidente da Ucrânia

O chefe de Estado elencou os motivos que fazem a Ucrânia não baixar os braços: "Cada novo dia é uma nova razão para não desistir porque, tendo passado por tanta coisa, não temos o direito de não chegar ao fim".

O presidente disse depois que o fim da guerra para os ucranianos é "a vitória" e defendeu que não irá procurar "um entendimento" com a Rússia.

Apesar do cansaço provocado pelo conflito, os cidadãos ucranianos continuam confiantes. Andriy Zhelvetro, cidadão ucraniano a residir em Kiev, disse que ser independente é "pensar, falar e fazer o que se quer" e que "mesmo em tempos de guerra é isso que a Ucrânia faz".

Anna Husieva, natural de Zaporijia, lembrou que tem muitos amigos combater na linha da frente e que é necessário "continuar a lutar" para não deixar os russos se instalarem no país.

Zelenskyy já alertou a população para que exista um cuidado particular durante este dia, pois existe a possibilidade de ataques russos, nesta que é uma data importante para a Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia reforça apoios de líderes mundiais em fórum para a Crimeia

Carrinha que mostra horrores da guerra na Ucrânia estaciona em Berlim

Dez prisioneiros de guerra ucranianos regressam a casa após anos de cativeiro russo