This content is not available in your region

Eleições gerais em Angola decorrem com normalidade

Access to the comments Comentários
De  Maria Barradas  & João Peseiro Monteiro
euronews_icons_loading
Presidente João Lourenço vota em Luanda
Presidente João Lourenço vota em Luanda   -   Direitos de autor  PAULO NOVAIS/EPA/Lusa

Os angolanos estão a votar em eleições gerais, para escolherem os futuros governantes do país.

Há oito forças políticas a concorrer mas a competição pelo poder joga-se entre MPLA e UNITA, naquela que é considerada a eleição mais disputada até agora no país.

Os eleitores votam com esperança de ver Angola melhorar. Uma eleitora junto à assembleia de voto afirma: "Espero que haja melhorias no nosso país, muitas melhorias mesmo, porque estamos cansados do que estamos a viver".

O escrutínio, que está a ser supervisionado por 2000 observadores nacionais e internacionais, decorre com normalidade.

O presidente João Lourenço e candidato do MPLA, que aposta num segundo mandato, votou logo de manhã e, à saída da assembleia de voto, proferiu umas breves palavras:

"No fim vamos sair todos a ganhar. É a democracia que ganha. É Angola que ganha", disse.

O líder da Unita e candidato à presidência, Adalberto Costa Júnior também votou durante a manhã.

O repórter da Euronews, João Peseiro Monteiro, que acompanha em Luanda esta eleição, refere: "As urnas vão ficar abertas até às 17 horas. Só permanecerão abertas além desse período se ainda houver eleitores para votar".

Segundo a polícia angolana, quase 36 mil agentes garantem a segurança nas mais de 13.000 assembleias de voto e mais de 80 mil efetivos, estão envolvidos na segurança das eleições.

Para além do território nacional há mais 45 mesas de voto no estrangeiro, para mais de 22 mil eleitores da diáspora, em 12 países de África, Europa e América.

Em Portugal, estão registados para votar cerca de 7.600 angolanos.