Bolsonaro criticado por fazer campanha eleitoral nas comemorações do bicentenário

Bolsonaro criticado por fazer campanha eleitoral no bicentenário
Bolsonaro criticado por fazer campanha eleitoral no bicentenário Direitos de autor Silvia Izquierdo/The Associated Press
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente brasileiro, e candidato nas eleições de 2 de outubro, dirigiu vários ataques a Lula da Silva durante a cerimónia oficial de celebração dos 200 anos de independência

PUBLICIDADE

O Brasil comemorou os 200 anos da Independência. A efeméride mobilizou toda a nação e o presidente Jair Bolsonaro não hesitou em aproveitar as multidões para misturar as celebrações oficiais com a campanha eleitoral.

O chefe de Estado, e candidato nas presidenciais de 2 de outubro, dirigiu vários ataques a Lula da Silva:

"Sabemos que temos pela frente uma luta do bem contra o mal. O mal, que perdurou por 14 anos em nosso país, que quase quebrou a nossa pátria e que agora deseja voltar a cena do crime."

Os discursos de Bolsonaro nesta ocasião levantaram fortes críticas da oposição, que acusam o Presidente de se ter apropriado indevidamente das comemorações do povo brasileiro.

Houve diversos protagonistas políticos que não participaram nas cerimónias públicas e Lula lamentou que não tenha sido um dia de união nacional:

"Em nenhum momento a gente utilizou um Dia da Pátria, um dia do povo Brasileiro, o dia maior de nossos pais por conta da independência, como instrumento de política eleitoral.

O presidente, ao invés de discutir os problemas do Brasil, tentar falar para o povo brasileiro como ele vai resolver os problemas da educação, da saúde, do desemprego, do salário mínimo, ele tenta falar de campanha política e tenta-me atacar."

A menos de um mês da eleição presidencial, as últimas sondagens indicam que Lula da Silva continua a dominar as intenções de voto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

“Lula é o maior ladrão da história do Brasil”

Moldova denuncia esforços da Rússia para influenciar referendo sobre UE

Presidenciais eslovacas: vitória de Pellegrini reforça governo eurocético de Robert Fico