This content is not available in your region

Putin ameaça "resposta dura" à contraofensiva de Kiev

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Responsáveis pró-russos mortos em contra-ataques ucranianos
Responsáveis pró-russos mortos em contra-ataques ucranianos   -   Direitos de autor  Evgeniy Maloletka/The Associated Press

Os relatos do lado pró-russo multiplicam-se e denunciam a destruição causada pela tentativa ucraniana de recuperar território em vários pontos do país. 

Em Kherson, no sul, o alvo foi um edifício da administração local. Em Lugansk, a região separatista do leste, uma deflagração matou o procurador-geral e a sua adjunta.

A mobilização não envolve todo o exército russo, só partes dele, de acordo com os parâmetros militares definidos. Portanto, ninguém tem pressa.
Vladimir Putin
Presidente russo

De visita ao Uzbequistão, Vladimir Putin declarou que, se estes ataques continuarem, "a resposta russa será mais dura". E explicou também que a libertação do Donbass é só uma questão de tempo.

Nas palavras do presidente russo, "as operações ofensivas nessa região não pararam, prosseguem a um ritmo mais lento, mas a Federação Russa está progressivamente a ocupar novos territórios. A mobilização não envolve todo o exército russo, só partes dele, de acordo com os parâmetros militares definidos. Portanto, ninguém tem pressa".

Dito isto, Moscovo continua a divulgar imagens da intervenção militar russa nas chamadas zonas de "operação especial" e garante que avança cada vez mais no terreno. Do lado ucraniano, o mesmo, com a propagação de imagens de equipamento russo destruído e abandonado no leste do país.