EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Moscovo ataca instalações de fornecimento de energia da capital ucraniana

Ataques russos abalam capital ucraniana
Ataques russos abalam capital ucraniana Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Kiev alvo de ataques aéreos russos.

PUBLICIDADE

Ouviram-se novamente as sirenes em Kiev. Os ataques russos com mísseis abalaram a capital ucraniana e atingiram umas instalações de fornecimento de energia, na periferia da cidade, que ficaram severamente danificadas, segundo o fornecedor de energia Ukrenerho. Especialistas estão a trabalhar para restabelecer fornecimento energético normal.

No entanto, os cidadãos foram incentivados a poupar eletricidade, principalmente à noite, para evitar sobrecargas na rede de distribuição. Apesar da vulnerabilidade a ataques aéreos, os soldados ucranianos continuam a contraofensiva no terreno.

Entretanto, a Rússia enviou os primeiros soldados para a Bielorrússia, para uma missão conjunta. De acordo com Moscovo, esta força especial foi criada para defender as fronteiras da Bielorrússia contra uma ameaça ucraniana.

Enquanto Kiev acusa Moscovo de arrastar a Bielorrússia para a guerra, Minsk assegura que esta força será apenas defensiva e tem como objetivo assegurar a fronteira. A Bielorrússia, já serviu de base para as tropas russas na sua ofensiva contra a Ucrânia, mas o exército bielorrusso não está envolvido em combates em território ucraniano.

Washington anunciou uma ajuda militar adicional a Kiev e um novo pacote de munições no valor de no valor de 725 milhões de dólares.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Fim da mobilização militar em Moscovo

Drones atingem Kiev

Ucrânia com dificuldades para reparar infraestruturas de energia devido a constantes ataques russos