EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Ucrânia resiste a ataques russos mas exército acusa pressão

Exército ucraniano continua a fazer frente a ofensiva russa na linha da frente
Exército ucraniano continua a fazer frente a ofensiva russa na linha da frente Direitos de autor Francisco Seco/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Francisco Seco/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Combates na linha da frente prosseguem. Kiev e o Ocidente acusam o Irão de apoiar a máquina de guerra russa

PUBLICIDADE

As tropas ucranianas repeliram ataques em 11 pontos da linha da frente da guerra contra a Rússia, este sábado.

De acordo com Kiev, não tiveram de recuar, mas o presidente Volodymyr Zelenskyy reconhece que em algumas áreas os ataques colocaram sob pressão o exército ucraniano.

"As ações ativas prosseguem em vários locais da linha de frente. Uma situação muito grave persiste nas regiões de Donetsk e Lugansk. O mais difícil é perto de Bakhmut. Continuamos a manter as nossas posições", sublinhou o presidente da Ucrânia.

A Rússia, por outro lado, diz que os ataques afetaram as linhas de fornecimento de eletricidade em muitas partes da Ucrânia.

Mas outras fontes referem que o impacto, para já pelo menos, é mínimo.

Kiev e o Ocidente acusaram, entretanto, o Irão de fornecer drones a Moscovo, para apoiar a máquina de guerra russa, mas Teerão nega que o tenha feito.

A Ucrânia diz que resistirá, custe o que custar.

"Estamos a fazer o nosso melhor para derrubar mais mísseis e drones inimigos, para desarmar mais posições de ataque do exército russo. E certamente chegará o dia em que nosso Estado será capaz de cumprir totalmente essa tarefa", insistiu Volodymyr Zelenskyy.

A questão dos drones de fabrico iraniano será discutida, esta segunda-feira, durante o conselho de ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, no Luxemburgo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Drones atingem Kiev

Aos poucos, aldeias de Kharkiv e Zaporíjia vão sendo reconstruídas

Hospital pediátrico de Kiev reabre parcialmente uma semana após ataque da Rússia