EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Kiev pode sofrer apagão total. Presidente da câmara alerta: "É necessário estarmos preparados"

Mulher num café, à luz das velas, durante corte de energia, em Kiev, Ucrânia
Mulher num café, à luz das velas, durante corte de energia, em Kiev, Ucrânia Direitos de autor Andrew Kravchenko/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Andrew Kravchenko/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vitali Klitschko, presidente da câmara de Kiev, admite que a capital da Ucrânia pode ficar às escuras, devido a bombardeamentos russos.

PUBLICIDADE

O presidente da câmara de Kiev, Vitali Klitschko, alertou, este domingo, para a possibilidade de um corte total da eletricidade na capital ucraniana, num futuro próximo.

Perante a destruição de infraestruturas vitais para o funcionamento da cidade, o autarca diz estar a ponderar todos os cenários possíveis e apela à população - já habituada a cortes temporários de energia - para que esteja preparada.

"Estamos a fazer tudo para que isso não aconteça. Mas sejamos honestos, os nossos inimigos estão a fazer tudo para manter a cidade sem aquecimento, eletricidade, nem água, e para que todos nós morramos. Essa é a sua missão. O futuro do país e o futuro de cada um de nós depende de como estamos preparados para várias situações. É necessário estarmos preparados", afirmou Klitschko, durante uma entrevista.

Klitschko reconhece ainda que a Rússia está a explorar a falta de acesso a energia para mudar o sentimento dos países vizinhos - altamente dependentes do gás russo para se aquecerem - em relação à guerra.

Nas últimas semanas, bombardeamentos russos deixaram várias vezes milhões de ucranianos sem eletricidade e água, além dos cortes em vigor para evitar sobrecargas e permitir reparações.

Os ataques da Rússia a centrais e linhas elétricas já danificaram ou destruíram por completo cerca de 40% do sistema energético da Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Von der Leyen vai propor apoio até 18 mil milhões de euros à Ucrânia

Manifestação pela paz pede o fim do envio de armas para a Ucrânia

Rússia vai enviar criminosos para a guerra na Ucrânia