Maternidades sem luz e criação de "pontos de invencibilidade" no inverno da Ucrânia

Milhares de ucranianos permanecem sem acesso a água corrente
Milhares de ucranianos permanecem sem acesso a água corrente Direitos de autor Evgeniy Maloletka/Copyright 2020 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Delegação da OMS visitou a região de Dnipro. Cortes de energia estão a agravar prestação de cuidados de saúde no país. Para combater a falta de energia para aquecimento, Ucrânia conta agora com novos abrigos.

PUBLICIDADE

O diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a Europa disse sentir-se "triste" e "ultrajado" perante a destruição dos cuidados de saúde na Ucrânia. Hans Kluge visitava Dnipro, no leste do país, região onde uma delegação da OMS levou ajuda médica e lamentou os mais de 700 ataques da Rússia a recursos sanitários. A realidade é agora agravada pelos cortes de energia em todo o território.

"Agora a temperatura está a oscilar em torno dos zero graus Celsius, mas em breve vai descer para os -20. Neste momento há um apagão em toda a cidade e em toda a região. Como pode um hospital funcionar sem eletricidade? Como é que as maternidades podem funcionar sem incubadoras, armazenamento de vacinas, sem frigoríficos?", questionou o responsável da OMS

O inverno é agora também uma arma de guerra. Ainda esta quarta-feira a Ucrânia voltou a ser alvo de uma vaga de bombardeamentos, que visaram o abastecimento de água e as infraestruturas energéticas do país, deixando várias cidades às escuras.

Kiev já classificou o bombardeamento como um "crime contra a humanidade" e anunciou a abertura do que chama "pontos de invencibilidade", ao todo 4.000 abrigos onde a população poderá permanecer aquecida, mas também ter acesso internet e primeiros socorros.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia prepara-se para o inverno com mais apoio da UE

Funeral de Alexei Navalny acontece esta sexta-feira

Rússia tenta consolidar posições em torno de Avdiivka