EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Khamenei rejeita negociar com os EUA

Ayatollah Ali Khamenei
Ayatollah Ali Khamenei Direitos de autor AP/AP
Direitos de autor AP/AP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cidades iranianas voltam a ser palco de protestos apesar de repressão

PUBLICIDADE

O guia supremo do Irão diz que negociar com os Estados Unidos não porá fim aos protestos que abalam o país há dois meses, já que Washington exigirá sempre mais.

O ayatollah Ali Khamenei felicitou os voluntários paramilitares que participam na repressão das manifestações iniciadas com a morte da jovem Mahsa Amini a meio de setembro, que Teerão considera como "motins" encorajados pelo Ocidente:

"O problema não são uns quantos desordeiros nas ruas, mesmo se cada desordeiro, cada terrorista, deve ser punido. A batalha é muito mais vasta e o maior inimigo é a arrogância global."

Apesar da repressão, novos protestos foram organizados este sábado em universidades da capital iraniana e noutras cidades, com imagens filtradas através das redes sociais. As autoridades efetuaram milhares de detenções nos dois meses de contestação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Francês detido no Irão por participar em protestos após a morte de Mahsa Amini foi libertado

Rússia procura fortalecer alianças na cimeira do BRICS

Irão: Líder supremo preside ao cortejo fúnebre do presidente Raisi em Teerão