Museu LGBTQIA+ em São Petersburgo

O fundador do museu, Pyotr Voskresensky
O fundador do museu, Pyotr Voskresensky Direitos de autor from video
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Museu dedicado à cultura LGBTQIA+ de São Petersburgo encerrado devido à lei da Rússia contra a chamada "propaganda gay"

PUBLICIDADE

Um museu dedicado à cultura LGBTQIA+ abriu na semana passada em São Petersburgo, mas fechou poucos dias depois, por altura em que entrou em vigor, na Rússia, uma nova lei que amplia de forma significativa as restrições à promoção do que chama de "propaganda gay".

Qualquer tentativa de promover a homossexualidade em público pode incorrer numa multa pesada.

"Abri este museu para mostrar não só que existimos, mas para mostrar que as autoridades de hoje se transformaram numa ditadura totalitária, e estão a tentar impor uma nova ideologia, uma nova ideia ao público, de que o futuro da sociedade é o seu passado", refere o fundador do museu, Pyotr Voskresensky.

Eu prego à comunidade LGBT e preocupa-me que muitos sejam obrigados a ir para a clandestinidade.
Alexander Khmelov
Sacerdote e ativista LGBTQIA+

A ratificação da lei por Vladimir Putin ocorre numa altura em que o Kremlin exerce maior pressão sobre os grupos minoritários, opositores do regime, elimina grupos de comunicação social independentes e restringe ainda mais a liberdade de expressão no país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Jakub Jantko é o único futebolista internacional masculino "fora do armário"

Rússia aperta o cerco anti-LGBT

Diplomatas estrangeiros na Rússia prestam homenagem às vítimas do Crocus City Hall