EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Mísseis russos caem em três cidades da Ucrânia

Ucranianos refugiam-se dos mísseis russos em abrigos subterrâneos, Kiev, Ucrânia
Ucranianos refugiam-se dos mísseis russos em abrigos subterrâneos, Kiev, Ucrânia Direitos de autor DIMITAR DILKOFF/AFP or licensors
Direitos de autor DIMITAR DILKOFF/AFP or licensors
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Kiev, Kharkiv e Krivoy Rog atingidas. Autoridades apelam à população de todo o território que recolha aos abrigos.

PUBLICIDADE

Três cidades ucranianas foram bombardeadas, esta sexta-feira, pela Rússia. Moscovo lançou um ataque de larga escala com mísseis que atingiram alvos em Kiev, Kharkiv e Krivoy Rog, no centro do país, onde pelo menos duas pessoas morreram na sequência das explosões num prédio residencial.

No nordeste da Ucrânia, Kharkiv ficou sem eletricidade.

Em Kiev, a capital, também a luz e água foram cortadas, depois de uma infraestrutura energética ter sido atingida. O metro foi suspenso para que as estações possam servir de abrigo aos habitantes. Toda a população está a ser incitada pelas autoridades a procurar um refúgio.

Também Kherson permanece às escuras na sequência de um ataque onde morreram duas pessoas.

Rússia faz demonstração de força após apoio da UE

O bombardeamento russo acontece horas depois de a União Europeia ter anunciado um pacote de apoio a Kiev, no valor de 18 mil milhões de euros, e novas sanções contra Moscovo.

Para Volodymyr Zelenskyy, que espera que uma tranche dessa ajuda financeira chegue já em janeiro para reforçar a defesa, os próximos meses serão decisivos para determinar o curso da guerra.

No vídeo diário noturno desta quinta-feira, o presidente ucraniano denunciou "os ataques brutais da Rússia" no Donbass, onde "os ocupantes estão a investir tudo e todos na ofensiva. Não conseguem vencer o nosso exército e por isso destroem fisicamente todas as cidades e aldeias, para que não haja edifícios, nem sequer muros que possam ser usados para qualquer defesa".

As autoridades ucranianas tinham já denunciado uma grande ofensiva militar planeada pelo Kremlin para o início do próximo ano.

Moscovo tem vindo também  a reforçar a aliança militar com a Bielorrússia, onde estão a ser realizados exercícios militares para testar a prontidão de combate. De acordo com a agência de notícias AFP, o presidente Vladimir Putin vai-se reunir em Minsk, esta segunda-feira com o homólogo Alexandr Lukashenko.

Luhansk acusa Ucrânia

As autoridades da região oriental de Luhansk, ocupada pela Rússia, acusaram as forças ucranianas de disparar artilharia, esta sexta-feira de manhã, sobre duas localidades, matando oito pessoas e fazendo 23 feridos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia interceta 13 ataques russos a Kiev

Ucrânia espera defesa aérea de longo alcance

Rússia captura aldeia na região de Donetsk