Rússia retira civis de Soledar e envia-os para acampamento temporário

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Habitantes de Soledar esperam dentro de um autocarro por serem registados num acampamento temporário em  Shakhtarsk, cidade ocupada pela Rússia na Ucrânia
Habitantes de Soledar esperam dentro de um autocarro por serem registados num acampamento temporário em Shakhtarsk, cidade ocupada pela Rússia na Ucrânia   -   Direitos de autor  AP/Copyright 2023 The AP. All rights reserved

A Rússia reclamou esta sexta-feira o controlo de Soledar,  mas Kiev desmentiu a tomada da cidade.

No habitual vídeo noturno, o presidente Volodymyr Zelenskyy garantiu que "as Forças Armadas da Ucrânia, todas as forças de defesa e segurança" do país estão a lutar para defender a Ucrânia. Zelenskyy também reconheceu que as tropas russas estão a concentrar as forças em Donetsk, mas afirma que a "dura batalha pela região continua".

Os sangrentos combates na região de Donetsk, que se têm vindo a intensificar em torno de Soledar e Bkhmut, têm impossibilitado a retirada de civis. O governador de Donetsk fala em mais de 550 habitantes, incluindo 15 crianças, que permanecem em Soledar.

Moscovo retirou entretanto do local e de aldeias vizinhas, cerca de 180 pessoas. Os deslocados estão a ser enviados para um acampamento temporário na cidade ocupada de Shakhtarsk, onde mais tarde, serão triados e enviados para outros locais a leste.

A poucos quilómetros de Soledar, a cidade Siversk vê o inferno a aproximar-se. 

Nesta altura do ano, a vizinhança estaria a preparar-se para o Malanka, um feriado celebrado por ucranianos e bielorrussos, para assinalar a passagem de ano, que, segundo o calendário juliano, se realiza entre 13 e 14 de janeiro. Mas na localidade, poucos veem hoje razões para celebrar.