EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Fernando Santos quer "ganhar" com a seleção da Polónia

Fernando Santos foi apresentado esta terça-feira, em Varsóvia, pela Federação polaca de Futebol
Fernando Santos foi apresentado esta terça-feira, em Varsóvia, pela Federação polaca de Futebol Direitos de autor Michal Dyjuk/AP
Direitos de autor Michal Dyjuk/AP
De  Euronews com Agências
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O treinador português foi apresentado esta terça-feira como responsável técnico da seleção da Polónia

PUBLICIDADE

Fernando Santos é o novo selecionador de futebol da Polónia. Um mês depois de deixar os comandos da equipa das quinas, o estratega da vitória de Portugal no Euro 2016 foi apresentado em Varsóvia.

Fernando Santos, com 68 anos, substitui o holandês Leo Beenhakker num lugar que já foi de outro português, Paulo Sousa.

A minha maior ambição é ganhar tudo. Não venho para perder - é uma palavra que eu sinceramente não gosto
Fernando Santos
Treinador da seleção polaca de futebol

Na mira do treinador está o europeu do próximo ano. O objetivo é levar Robert Lewandowski e companhia à fase final. O avançado do Barcelona tem 34 anos, está a aproximar-se do fim da carreira e poderá ter no Campeonato Europeu em 2024 a derradeira exibição com as cores nacionais.

Desde 1986, a seleção da Polónia só por duas vezes passou a gase de grupos - no Mundial de 2022 e no Europeu de 2016.

Fernando Santos é conhecido por ser um treinador pragmático e de espírito defensivo. Esteve oito anos aos comandos da seleção portuguesa.  Antes tinha treinado a seleção da Grécia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tusk nomeia comissão para investigar influência russa e bielorrussa após detenções de espiões

Primeiro-ministro polaco promete reforçar a segurança na fronteira com a Bielorrússia

Polónia quer estar pronta caso haja um ataque da Rússia e pede à UE para dar mais armas à Ucrânia