Apple, Alphabet e Amazon desiludem o mercado

Primeiro trimestre da Apple marcado por queda da faturação e do lucro
Primeiro trimestre da Apple marcado por queda da faturação e do lucro Direitos de autor Gene J. Puskar/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Estas três empresas apresentaram os resultados na quinta-feira, que ficaram abaixo das expectativas dos analistas.

PUBLICIDADE

A Apple apresentou, na quinta-feira, os resultados do seu primeiro trimestre, marcado por uma queda da faturação e do lucro, devido à redução das vendas dos iPhones, o principal produto da empresa.

No último trimestre de 2022 – o primeiro do seu exercício de 2023, já que este começa em outubro – a Apple faturou 117,154 mil milhões de dólares, menos 5,5% homólogos, e lucrou 29,998 mil milhões de dólares, uma redução de 13% face aos registados há um ano.

Desde 2019 que a Apple não apresentava uma descida homóloga de faturação.

O trimestre em causa é particularmente importante para a empresa, por ser uma época alta de vendas devido à Black Friday e ao Natal. As vendas de fim de ano de smartphones foram as piores de sempre.

Além do arrefecimento económico generalizado, a empresa também foi afetada pela força do dólar e pelos problemas na produção dos seus aparelhos na China.

A Alphabet, dona da Google, também sofreu uma queda significativa dos lucros no quarto trimestre de 2022. Lucrou 59,972 mil milhões de dólares em 2022, menos 21% que em 2021. A faturação subiu 10%, para 282,836 mil milhões de dólares. Estas contas desiludiram os investidores. 

A Amazon registou o maior prejuízo anual de sempre: 2,7 mil milhões de dólares em 2022. 

As vendas da empresa até aumentaram 9% para 149,2 mil milhões de euros no trimestre natalício, mas o problema foi a rentabilidade. Rendeu 278 milhões de dólares ou 3 cêntimos por ação, quando os analistas esperavam 17 cêntimos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Jeff Bezos volta a ser o homem mais rico do mundo

Apple revela iPhone 15 com entrada USB-C

Os movimentos sociais na Europa