EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Porque é que o terramoto foi tão devastador?

Terramoto na Turquia
Terramoto na Turquia Direitos de autor STR/AFP or licensors
Direitos de autor STR/AFP or licensors
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A fragilidade dos edifícios é um problema conhecido e os governos têm algumas decisões difíceis a tomar

PUBLICIDADE

A Turquia já foi abalada por vários terramotos. Mas sismos desta magnitude, nesta região específica do sudeste do país e do norte da Síria, são raros.

Saskia Goes, professora de Geofísica no Imperial College de Londres, sublinha que grandes terramotos de magnitude sete na Turquia podem acontecer a cada cem anos. “São mais comuns no norte, ao longo da falha do norte da Anatólia, do que no local onde este terramoto foi registado. Aqui, os sismos podem ocorrer apenas de 500 em 500 anos ou mais”, revela.

Depois do sismo, milhares de edifícios desmoronaram. As estruturas modernas estão melhor equipadas, mas alguns dos edifícios mais antigos da região não resistiram. É um problema conhecido e os governos têm algumas decisões difíceis a tomar.

Sean Wilkinson, professor de Engenharia de Estruturas na Universidade de Newcastle, explica que através da técnica “retrofitting" é possível aumentar a capacidade de resistência destes edifícios. Mas trata-se de uma técnica muito cara.

Vários fatores estão em cima da mesa. Saskia Goes lembra que o próximo terramoto pode ocorrer daqui a 500 anos. Neste cenário, diz Goes, é preciso ponderar que tipo de investimento pode e deve ser feito.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morte, doença e desespero: A vida em Antáquia depois do terramoto

Blinken promete mais de 90 milhões de euros em ajuda norte-americana à Turquia

Sismos na Turquia e Síria: Um dia depois da catástrofe luta-se contra o tempo