Ataques maciços a cidades ucranianas

Guerra na Ucrânia
Guerra na Ucrânia Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois dos ataques russos desta sexta-feira, a Agência Internacional de Energia Atómica revelou que um reator de uma central atómica no oeste do país foi encerrado devido a instabilidades na rede elétrica

PUBLICIDADE

Cerca de 150 mil casas ficaram sem eletricidade na região de Karkiv depois dos fortes ataques russos desta sexta-feira. Várias cidades ucranianas foram atingidas, incluindo a capital, onde as pessoas se rufugiaram no metro. 

"A Ucrânia perdeu temporariamente 44% da sua capacidade de produção de energia nuclear, 75% da capacidade da sua central térmica e 33% da sua capacidade de cogeração", disse a o primeiro-ministro ucraniano Denys Chmygal. "A grande maioria dos ucranianos ainda tem acesso a aquecimento, água e eletricidade (...) há recursos suficientes para passar o Inverno", acrescentou.

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) afirmou numa declaração que um reator na central atómica de Khmelnytskyi (NPP) no oeste do país foi encerrado devido a instabilidades na rede elétrica.

Em Bucareste**,** o ministério da Defesa romeno disse que "nenhum míssil" tinha violado o espaço aéreo do país, ao contrário do que o chefe do exército ucraniano tinha garantido. O presidente ucraniano continua a garantir que "vários mísseis passaram pelo espaço aéreo da Moldávia e da Roménia", referindo-se a um "desafio à NATO" por parte da Rússia.

Visita aos aliados europeus

Os ataques desta sexta-feira aconteceram depois da deslocação do presidente da Ucrânia a Londres, Paris e Bruxelas. Sobre os encontros com os aliados europeus, Volodymyr Zelenskyy disse que recebeu “sinais positivos” e falou de “acordos importantes”.

Zelenskyy pede aviões e armamento pesado. O ultimo pedido foi feito ao governo dos Países Baixos.

Entretanto, Berna alegou a sua condição de neutralidade, e confirmou que não vai permitir que a Espanha transfira dois canhões antiaéreos de fabrico suíço para a Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin rearma exército, enquanto escasseia ajuda humanitária da ONU para a Ucrânia

Ucrânia e Estados Unidos preparam conferência da indústria militar em Washington

David Cameron visita Odessa