EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Megaoperação de transferência de prisioneiros em El Salvador

Centro de Confinamento do Terrorismo, nos arredores da cidade de Tecoluca, 74 km a sudeste de San Salvador
Centro de Confinamento do Terrorismo, nos arredores da cidade de Tecoluca, 74 km a sudeste de San Salvador Direitos de autor Michael Macor/San Francisco Chronicle
Direitos de autor Michael Macor/San Francisco Chronicle
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

El Salvador transferiu numa noite dois mil prisioneiros, na maioria membros de gangues, para o novo Centro de Confinamento do Terrorismo

PUBLICIDADE

 O governo de El Salvador realizou uma mega operação de transferência de prisioneiros.

2.000 membros de gangues foram transferidos para o Centro de Confinamento do Terrorismo, uma nova infraestrutura concebida para albergar 40.000 criminosos, que foi recentemente inaugurada pelo presidente, Nayib Bukele.

Desde março de 2021 que Bukele está a travar uma "guerra" contra grupos do crime organizado.

A gigantesca prisão tem sido alvo de duras críticas por alegadas violações dos direitos humanos e violação das normas internacionais. Tem pavilhões de confinamento com cabines metálicas e "celas de punição".

Construída num vale rural, nos arredores da cidade de Tecoluca, 74 km a sudeste de San Salvador, a enorme prisão está equipada com vigilância de alta tecnologia e tem controlo muito rigorosos de entrada.

O presidente anunciou a operação no Twitter, escrevendo: "Hoje ao amanhecer, numa única operação, transferimos os primeiros 2.000 membros de gangues para o Centro de Contenção do Terrorismo (CECOT). Esta será a nova casa onde viverão juntos, sem poderem causar mais danos às populações".

No vídeo da partilha veem-se muitos prisioneiros com tatuagens nos corpos, sinal da sua pertença aos dois principais bandos da Mara Salvatrucha (MS-13) e do Barrio 18.

Apesar das críticas das ONG de direitos humanos pelos abusos cometidos, a "guerra contra o crime" conquistou uma popularidade esmagadora para o presidente Bukele.

De acordo com os números oficiais, e sob regime de exceção, já foram detidas em El Salvador mais de 64 mil pessoas, desde março de 2022.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cerco militar na cidade salvadorenha de Soyapango

El Salvador anuncia prolongamento do regime de exceção

El Salvador sob estado de emergência para controlar a violência