Bakhmut no epicentro da guerra

Soldados ucranianos numa posição de combate perto de Bakhmut
Soldados ucranianos numa posição de combate perto de Bakhmut Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Exército russo reclama pequenos avanços, enquanto Zelenskyy homenageia coragem de soldados ucranianos

PUBLICIDADE

Bakhmut é, cada vez mais, o epicentro da guerra na Ucrânia. O Exército russo reclama pequenos avanços mas continua a não conseguir cercar completamente a cidade.

As forças ucranianas dizem ter conseguido estabilizar a linha da frente nos arredores de Bakhmut, mas um dos seus comandantes descreveu a situação vivida pelos seus homens como um "inferno".

No discurso quotidiano à nação, o presidente Volodymyr Zelenskyy fez questão de prestar homenagem aos militares que combatem no leste do país, reconhecendo a situação particularmente difícil em que se encontram:

"Agradeço a todos aqueles que dão a vida para salvar vidas na Ucrânia. Quero prestar uma homenagem especial à coragem, força e resiliência dos soldados que lutam no Donbass. É uma das batalhas mais difíceis, dolorosa e difícil."

Para os civis na região o quotidiano é também cada vez mais difícil, obrigados a cozinhar na rua e, na maioria dos casos, a viver em caves, sem eletricidade, aquecimento ou água corrente.

Alina, residente de Chasiv Yar: "Não somos destemidos. Também temos medo, somos pessoas vivas e também queremos viver. Eu quero que tudo acabe rapidamente. Têm de chegar a um acordo ou a questão tem de ser resolvida de alguma forma. É simplesmente insuportável."

Na região de Zaporíjia, as forças ucranianas afirmam ter destruído duas bases militares russas, resultando na morte de centenas de "soldados ocupantes", segundo um responsável da autarquia local.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bakhmut: A batalha mais longa e sangrenta da guerra na Ucrânia

Um morto e doze feridos em ataque russo a Poltava na Ucrânia

Kremlin diz que ataque à central nuclear de Zaporíjia é "provocação perigosa" da Ucrânia