Mais vandalismo no sétimo dia de protestos contra a reforma das pensões em França

Vandalismo nas ruas de Paris durante o protesto contra a reforma das pensões
Vandalismo nas ruas de Paris durante o protesto contra a reforma das pensões Direitos de autor AP Photo/Lewis Joly
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Manifestação perdeu um pouco de força este sábado, mas ainda centenas de milhares de pessoas fizeram-se ouvir e sindicatos lançaram pedido a Macron

PUBLICIDADE

O vandalismo e a violência voltou a marcar o regresso à rua dos protestos em França contra a reforma das pensões em discussão na Assembleia Nacional e que visa o aumento da idade mínima da aposentação dos 62 para os 64 anos, justificado com a necessidade de o Estado conseguir garantir os pagamentos aos pensionistas.

A revolta é grande e os sindicatos franceses apelaram este sábado ao Presidente Emmanuel Macron para "consultar o povo" sobre esta reforma do regime das pensões em França.

Foi o sétimo dia de um protesto que este sábado parece ter perdido alguma força, mas ainda assim com as autoridades a estimarem 370 mil manifestantes nas ruas por toda a França, enquanto os sindicatos a apontarem para mais de um milhão de pessoas revoltadas com o Governo.

Um novo protesto está já marcado para quarta-feira, 15 de março, dia em que uma comissão mista de deputados e senadores avalia o texto da proposta antes do voto decisivo nas duas câmaras do Parlamento francês.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Reforma das pensões: Franceses não dão tréguas a Macron

Reforma das Pensões votada hoje pela Assembleia Nacional francesa

Reforma das pensões aprovada na comissão mista parlamentar francesa