TPI emite mandado de captura a Putin por crimes de guerra

Vladimir Putin
Vladimir Putin Direitos de autor AP/Sputnik
De  Euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Rússia classificou a ordem de “indignante” e “inadmissível.” Kiev diz que “é apenas o primeiro passo”

O Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu,esta sexta-feira, um mandado de captura contra o Presidente russo, Vladimir Putin, por crimes de guerra.

PUBLICIDADE

Em comunicado, o TPI acusa Putin de ser "alegadamente responsável pelo crime de guerra de deportação ilegal de população (crianças) e transferência ilegal de população (crianças) de áreas ocupadas da Ucrânia para a Federação Russa.”

O tribunal imputa a Putin crimes de guerra cometidos "em território ucraniano ocupado pelo menos desde 24 de fevereiro de 2022", alegando existirem "motivos razoáveis para acreditar" que "em exercer o controlo adequado sobre os subordinados civis ou militares que cometeram esses atos.”

O tribunal emitiu, igualmente, mandado para a detenção de Maria Alekseyevna Lvova-Belova, comissária para os Direitos da Criança no Gabinete do Presidente da Federação Russa por acusações semelhantes.

Rússia considera mandado de captura “juridicamente nulo”

A Rússia classificou de “juridicamente nulo” o mandato de captura por crimes de guerra hoje emitido contra o presidente Vladimir Putin.

“As possíveis ‘prescrições’ de captura que saiam do Tribunal Penal Internacional serão juridicamente nulas para nós”, referiu Maria Zakharova, porta-voz do ministério russo dos Negócios Estrangeiros, através de uma mensagem na rede social Telegram.

Zakharova acrescentou que “a Rússia não pertence ao Estatuto de Roma [o tratado fundador do TPI] do Tribunal Penal Internacional”, pelo que “não tem obrigações perante ele."

Já o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, classificou a ordem de “indignante” e “inadmissível.”

Kiev, por outro lado, diz que “é apenas o primeiro passo.”

"Isto é apenas o início", referiu o chefe do gabinete presidencial ucraniano, Andrii Iermak, referindo-se a este anúncio como uma "decisão histórica".

ONU não comenta

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, recusou comentar a emissão do mandado de captura ao presidente russo.

“O Tribunal Penal Internacional é uma instituição independente do secretariado das Nações Unidas e não comentamos a suas decisões”, sublinhou, esta sexta-feira, em conferência de imprensa Stéphane Dujarric, porta-voz do secretário-geral da ONU.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin visita Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita, países que não têm obrigação de detê-lo

Homem que afirma ser ex-oficial russo quer testemunhar sobre crimes de guerra na Ucrânia

UE e Ucrânia estudam tribunal especial para Putin e oficiais de guerra