EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Ucrânia: Lula entende papel da UE mas diz que é hora de parar a guerra

Primeiro-ministro de Portugal, António Costa, e presidente do Brasil, Lula da Silva
Primeiro-ministro de Portugal, António Costa, e presidente do Brasil, Lula da Silva Direitos de autor AP Photo/Armando Franca
Direitos de autor AP Photo/Armando Franca
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente do Brasil participou, este sábado em Lisboa, na Cimeira Luso-Brasileira

PUBLICIDADE

"O Brasil está de volta." Com este mote, o presidente do Brasil participou, este sábado em Lisboa, na Cimeira Luso-Brasileira.

Lula da Silva insistiu que é tempo de pensar no futuro e de "alargar mais e mais horizontes."

Na bagagem, trouxe outro tema que tem dado muito que falar: a guerra na Ucrânia.

Disse que entende o papel da União Europeia de apoio à Ucrânia contra a invasão russa, mas que é hora de parar a guerra.

E para que não restem dúvidas ressalvou também que o Brasil condena a invasão russa da Ucrânia, mas procura reunir países em nome de convencer as partes a sentar-se à mesa negocial.

"Nunca igualei os dois países porque sei o que é uma invasão e o que é integridade territorial. Todos nós achamos que a Rússia errou e já condenámos isso em todas as decisões da ONU, mas penso que a guerra já começou e agora precisa parar. Para isso, é preciso haver alguém disposto a conversar", disse.

Lula chegou a Portugal na sexta-feira para uma visita de cinco dias, num esforço diplomático para melhorar as relações internacionais após os quatro anos de mandato de Jair Bolsonaro.

Continuará o périplo com uma visita à Espanha prevista para terça-feira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Von der Leyen tenta concluir acordo UE-Mercosul até final do ano

UE quer renovar parceria com a América Latina na cimeira de julho

Portugal deve pedir desculpa pela escravatura, diz o Presidente