Ucrânia diz que tem repelido a maioria dos mísseis russos sobre Kiev

Lançamento de mísseis na Ucrânia
Lançamento de mísseis na Ucrânia Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Rússia não tem poupado mísseis sobre Kiev desde que invadiu a Ucrânia. As forças armadas ucranianas dizem ter repelido a maioria. Moscovo diz que é "impossível".

PUBLICIDADE

A Ucrânia afirma ter repelido os ataques de mísseis mais maciços contra Kiev desde o início da guerra.

Os relatórios das Forças Armadas da Ucrânia mencionam a queda de 6 dos mais recentes mísseis hipersónicos "Kinzhal" ("Dagger") e 9 mísseis de cruzeiro "Kalibr".

De acordo com esta informação, apenas os destroços caíram sobre a cidade. Há danos em várias zonas, incluindo o jardim zoológico, e várias pessoas ficaram feridas.

No Twitter, o exército ucraniano afirma que foram intercetados os seguintes mísseis:

6 mísseis aero balísticos "Kinzhal";

9 mísseis de cruzeiro "Kalibr"

3 mísseis balísticos de defesa aérea (TBC)

6 drones de guerra de ataque "Shahed"

3 drones de guerra ("Orlan", "Supercam")

As autoridades russas declararam que é impossível abater os mísseis Kinzhal, especialmente com os meios de que a Ucrânia dispõe. Moscovo classificou de "falsas" as notícias anteriores sobre a interceção de um míssil deste tipo. Washington diz que pode confirmar o sucesso da defesa aérea ucraniana.

Kiev foi alvo de bombardeamentos particularmente maciços após as declarações das forças armadas ucranianas sobre o primeiro contra-ataque bem-sucedido em Bakhmut. O Ministério da Defesa russo informou que se registaram batalhas ferozes pela cidade. As autoridades ucranianas referem que este não é ainda o início da grande contraofensiva, de que se fala há vários meses.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia e Rússia disputam Bakhmut com progressos para ambos os lados

Rússia admite recuo em Bakhmut face a avanço da Ucrânia

Ataques russos voltam a atingir várias cidades de Ucrânia e fazem um morto