EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Equipas de resgate ucranianas procuram sobreviventes em Dnipro

Ataques russos destruíram edifícios residenciais.
Ataques russos destruíram edifícios residenciais. Direitos de autor AFP PHOTO / UKRAINIAN STATE EMERGENCY SERVICE
Direitos de autor AFP PHOTO / UKRAINIAN STATE EMERGENCY SERVICE
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cidade ucraniana de Dnipro foi alvo de ataques russos no sábado e várias crianças ficaram feridas. Na região russa de Belgorod também se sentem os ataques intensos de forças pró-Ucrânia.

PUBLICIDADE

As equipas de resgate ucranianas desdobraram-se, este domingo, em trabalhos para encontrar sinais de vida debaixo dos escombros em Dnipro.

A cidade no sudeste do país foi alvo de ataques russos no sábado.

O governador regional disse que, além da morte de uma criança de dois anos, outras cinco crianças estavam entre as 22 pessoas feridas quando dois edifícios residenciais foram atingidos.

"Eu estava a correr da estação elétrica entre o trânsito. Estava a correr para casa, o meu filho estava sozinho. Tentámos puxá-lo por debaixo de uma grade sobre a janela. Tirámos a grade e tirámo-lo para fora. Ele está agora a ser tratado", explicou Alyona Serednyak, mãe de uma criança ferida.

Iryna Vereshchuk, vice-primeira-ministra da Ucrânia, acrescentou: "Vladimir Putin está a atingir civis. Onde estão as unidades militares nesta área? Onde estão os objetos que poderiam ser considerados um alvo legítimo? Numa casa de dois andares onde vivem crianças, idosos e mulheres."

Do lado oposto da fronteira, perto da cidade russa de Belgorod, os moradores procuram abrigos para se protegerem do bombardeio intenso das forças pró-Ucrânia.

Estão a ser doados alimentos e outros itens básicos para ajudar os civis que foram forçados a deixar as suas casas.

"A situação é terrível, mas aguentamo-nos. Tentamos manter-nos fortes porque temos crianças. Isso dá-nos um incentivo para continuar a viver. E o que é que vai acontecer? Claro que não sabemos, mas vamos continuar", insistiu Irina Burlakova, uma residente deslocada de Shebekino, na Rússia.

A região russa de Belgorod tem sido atingida por drones e ataques de artilharia da Ucrânia há meses, mas os bombardeios nunca foram tão intensos como nos últimos dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Familiares de soldados ucranianos em cativeiro protestam em Kiev

Pelo menos seis feridos em ataque aéreo russo a zona residencial de Kostiantynivka

Pelo menos seis feridos após ataque aéreo russo em zona residencial de Kharkiv