EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Seca precoce atinge sul da Europa

Seca precoce atinge departamento de Gard, França
Seca precoce atinge departamento de Gard, França Direitos de autor Héloïse Urvoy/EURONEWS
Direitos de autor Héloïse Urvoy/EURONEWS
De  Heloise UrvoyEuronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Restrições ao consumo de água estão já a ser aplicadas em França. Mais de metade dos níveis de água subterrânea no país estão em défice.

PUBLICIDADE

O verão ainda está para chegar, mas a seca é já uma realidade para quase um terço da Europa. O fenómeno, diz o Observatório Europeu da Seca, é particularmente grave em 10% do continente, atualmente em situação de crise.

É o caso do departamento de Gard, no sul de França, onde as autoridades locais acionaram em maio o nível de alerta mais elevado para as restrições de água.

Sébastien Ferra, diretor do departamento local da terra e do mar, confessa que na região todos estão "muito preocupados, porque desde setembro que temos um défice de precipitação de cerca de 40 a 50%". 

EURONEWS
Restrições de água em FrançaEURONEWS

A situação mantém-se "apesar das tempestades das últimas três semanas", uma vez que "a chuva que cai atualmente não está a recarregar os rios nem os lençóis freáticos".

Atualmente 68% dos níveis de água subterrânea no país estão em défice.

Escassez de água obriga a mudança de comportamentos

Os habitantes das zonas afetadas pela escassez de água passaram a ter de cumprir algumas restrições de consumo: já não podem encher piscinas e estão sujeitos a limites de rega. A irrigação agrícola só é permitida durante a noite, para evitar a evapotranspiração.

Nos últimos anos, o clima tem mudado e as mudanças - afirmam as autoridades - exigem a todos alterações.

"No passado, registaram-se grandes secas. Mas agora apercebemo-nos de que as temperaturas são cada vez mais elevadas, de que isso acontece com cada vez mais frequência e, sobretudo, de que os lençóis freáticos estão a baixar", conta o presidente da câmara de Montclus, Benoit Trichot. 

O autarca revela que a situação está a ser avaliada, sendo já certo que há "uma mudança a fazer no futuro". Para já, garante, o processo passa pela "sensibilização do maior número de pessoas". 

O ano de 2022 foi o mais quente de que há registo em França. No entanto, o nível de crise para as restrições de água só foi acionado em julho. 

Este ano, o início precoce da seca fez com que as restrições de água fossem acionadas logo em abril, em algumas zonas do Gard, e em maio em quase todo o departamento. 

As autoridades locais estão a preparar-se para um verão particularmente seco em 2023 e nos próximos anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Seca: Governo anuncia cortes no abastecimento de água no Algarve

Países do Sul da UE pedem apoios comunitários para lidar com seca

Inundações não vão travar seca na Europa, alertam especialistas