Países do Sul da UE pedem apoios comunitários para lidar com seca

No caso de Portugal, cerca de 90% do território continental está a sofrer de seca
No caso de Portugal, cerca de 90% do território continental está a sofrer de seca Direitos de autor Emilio Morenatti/The AP
De  Vincenzo GenoveseIsabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Portugal é um dos Estados-membros do Sul da UE que defende a mobilização de recursos financeiros comunitários para lidar com a seca, nomeademente ao nível do impacto na agricultura.

PUBLICIDADE

Os ministros da Agricultura debateram, numa reunião, na terça-feira, em Bruxelas, a utilização da "Reserva Agrícola", um fundo que tem 450 milhões de euros, destinado a apoiar os agricultores em crises excecionais, para lidar com o impacto da seca.

"Este ano estamos a assistir, no caso de Espanha, a uma diminuição de mais de 30% da precipitação desde o início do ano hidrológico. Isto tem consequências diretas, do ponto de vista da alimentação dos animais nas pastagens. Tem também consequências do ponto de vista das colheitas de inverno que não puderam ser concluídas", explicou Luis Planas Puchades, ministro da Agricultura, Pescas e Alimentação de Espanha.

"Tem também consequências sobre as culturas de primavera, que em alguns casos não puderam ser semeadas, e sobre a irrigação, que tem um rendimento inferior", concluiu o governante, em declarações à imprensa.

Um relatório apresentado por Portugal, com contributos de França, Itália e Espanha, revela a gravidade da situação: no final de abril, 21,6% do território da UE encontrava-se em "situação de aviso" e 3,2% em "situação de alerta", no que se refere à severidade da seca.

Seca alastra no sul da UE

Espanha e Portugal são os países mais afetados pela falta de chuva, mas a situação também se agrava nos países bálticos e escandinavos.

De acordo com os ultimos dados, em Espanha, a precipitação ficou 24% abaixo da média, nos últimos seis meses.

O cenário repete-se em França, com 25% do território em risco muito provável de seca até ao final do verão.

Em Itália, seca e as inundações estão a prejudicar a criação de animais, as vinhas, as culturas de cereais, de frutas e de hortícolas.

No caso de Portugal, cerca de 90% do território continental está a sofrer de seca, que atinge um grau severo num quinto do país (quase cinco vezes mais do que a área registada no ano passado).

A Comissão Interministerial da Seca vai reunir-se, esta quinta-feira, para fazer ponto de situação e avaliar necessidade de novas medidas, disse o ministro do Ambiente português, Duarte Cordeiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Seca precoce atinge sul da Europa

Falta de água alarma agricultores e silvicultores na Polónia e Lituânia

Exemplos de economia circular aplicada à agricultura na UE