EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Número de refugiados atinge nível recorde e ACNUR apela a uma ação concertada

Campo de refugiados
Campo de refugiados Direitos de autor Bilal Hussein/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Bilal Hussein/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Luis GuitaEuronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

ACNUR diz que número de refugiados atingiu um nível recorde em 2022, não se prevê um abrandamento em 2023 e apela a uma ação concertada de governos e ONG's

PUBLICIDADE

A agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) apela a uma ação concertada, uma vez que o número de pessoas deslocadas à força atinge níveis recorde.

Em 2022, a guerra, a perseguição, a violência e as violações dos direitos humanos fizeram aumentar o número de refugiados em 21%.

Mais de 1 em cada 74 pessoas em todo o mundo ficou deslocada à força.

108,4 milhões de pessoas terão sido deslocadas até ao final deste ano.

A guerra na Ucrânia foi o principal fator de deslocação no ano passado. O número de refugiados da Ucrânia aumentou de 27 300 no final de 2021 para 5,7 milhões no final de 2022, representando o mais rápido aumento de refugiados em qualquer lugar do mundo desde a Segunda Guerra Mundial.

De acordo com o relatório da ACNUR , mais de metade de todas as pessoas que procuram segurança são originários de apenas três países: Síria (6,5 milhões),Ucrânia (5,7 milhões) eAfeganistão (5,7 milhões).

A trajetória ascendente das deslocações forçadas a nível mundial não mostra sinais de abrandamento em 2023. A eclosão do conflito no Sudão está a desencadear novos fluxos de deslocados.

Os países de rendimento médio e baixo acolhem a maioria dos refugiados. A Turquia e o Irão, em conjunto, acolhem 7 milhões de pessoas.

O relatório Tendências Globais, produzido pelo ACNUR, insta os governos e as ONG a encontrarem novas soluções para o problema crescente dos refugiados e a garantir que aqueles que foram forçados a fugir não sejam condenados a um exílio permanente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Franceses marcham de guarda-chuva pelos refugiados

Três palestinianos mortos durante incursão em campo de refugiados

Incêndio devasta campo de refugiados rohingya