Destruição da barragem de Kakhovka gera outra guerra na Ucrânia

Aldeia de Hrushivka luta contra a falta de água provocada pelo colapso da barragem
Aldeia de Hrushivka luta contra a falta de água provocada pelo colapso da barragem Direitos de autor EVN
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Agricultores lutam pela sobrevivência das culturas que eram normalmente regadas com a água da barragem.

PUBLICIDADE

Uma segunda guerra estourou na aldeia ucraniana de Hrushivka após o colapso da barragem de Kakhovka: a da sobrevivência das plantações tradicionalmente irrigadas com as suas águas. Como noutras aldeias ribeirinhas, os agricultores fazem o que podem para salvar as culturas.

"Tirámos água do reservatório de água de Kakhovka. Agora trouxemos todo este material, para bombeá-la de alguma forma. Por exemplo, preciso de 40 a 50 metros cúbicos de água por dia para o hectare de estufas que tenho. Por isso é tudo uma questão de tecnologia. Hoje eu trouxe cinco metros cúbicos. O que vou cultivar então?”, questiona-se Volodymyr Igolnik, agricultor.

Enquanto Volodymyr luta para regar as suas plantações, outros agricultores cavam buracos profundos para conservar a água.

"Nós entendemos que não haveria água. O marido e o meu filho cavaram um buraco. Criar outro reservatório para água potável era muito caro. Mas queremos cultivar os nossos tomates. Os vegetais estão muito caros agora. Queremos tê-los para nós e para os nossos filhos", diz Svetlana Varavina, habitante de Hrushivka.

As autoridades ucranianas distribuem diariamente água potável pelas aldeias mais afetadas pela rutura da barragem. Nesta e noutras aldeias não há água canalizada e existe um grave perigo para a saúde de uma população muito idosa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A barragem de Kakhovka e a central hidroelétrica devem ser recuperadas?

Rússia declara correspondente da BBC de “agente estrangeiro”

Um morto e doze feridos em ataque russo a Poltava na Ucrânia