Rússia aperfeiçoa táticas para travar contraofensiva ucraniana

Sasha Vakulina
Sasha Vakulina Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Oleksandra Vakulina
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ministério britânico da Defesa considera que os progressos são lentos porque há falta de munições e as tropas russas estão cansadas

PUBLICIDADE

A Ucrânia diz que as suas tropas recuperaram mais terreno ao longo das frentes oriental e meridional, no que o presidente Volodymyr Zelenskyy descreveu como um progresso numa semana "difícil" para a contraofensiva de Kiev contra as forças russas.

O Ministério britânico da Defesa afirma que "nas últimas semanas, a Rússia deu prioridade e aperfeiçoou as tácticas destinadas a abrandar as operações de contraofensiva dos blindados ucranianos no sul da Ucrânia".

O cerne desta abordagem tem sido a forte utilização de minas anti-tanque por parte da Rússia. Em algumas zonas, a densidade dos campos de minas indica que provavelmente utilizou muito mais minas do que as previstas na sua doutrina militar.

Depois de abrandar o avanço ucraniano, a Rússia tentou atacar os veículos blindados ucranianos com drones não tripulados de ataque unidirecional, helicópteros de combate e artilharia.

De acordo com o Ministério britânico da Defesa, "embora a Rússia tenha conseguido algum sucesso com esta abordagem nas fases iniciais da contraofensiva ucraniana, as suas forças continuam a sofrer de fraquezas fundamentais, especialmente uma escassez de munições de artilharia e unidades sobrecarregadas".

De acordo com Serhii Cherevatyi, porta-voz do agrupamento oriental das Forças Armadas ucranianas, para as duas principais frentes de batalha orientais a Rússia enviou mais de 180 000 soldados. Na direção Lyman-Kupyansk estão concentrados agora mais de 120.000 soldados russos.

As cidades de Lyman e Kupyansk ficam a cerca de 100 quilómetros de distância, a norte de Bakhmut, na frente oriental da Ucrânia. Cherevatyi afirma que a frente de Bakhmut tem cerca de 50.000 soldados russos destacados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Abatidos drones em Moscovo enquanto Ucrânia sofre vários ataques

Moscovo e Kiev acordam trocar 48 crianças deslocadas pela guerra

Biden promete que pacote de ajuda militar e financeira à Ucrânia chegará "rapidamente"