EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Violência na fronteira entre a Bulgária e a Turquia: o que se passa?

Violência na fronteira entre a Bulgária e a Turquia: o que se passa?
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Hans von der Brelieeuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Bulgária poderá integrar o espaço Schengen até ao final do ano, mas, os relatos de violência policial na fronteira com a Turquia levantam questões sobre a forma como as autoridades búlgaras supervisionam o espaço fronteiriço.

PUBLICIDADE

Será que a Bulgária vai ser aceite no grupo dos países Schengen até ao final de 2023?

O Parlamento Europeu e a Comissão Europeia confirmam que a Bulgária está pronta. Mas, até agora, os Países Baixos e a Áustria têm bloqueado a adesão. Apontam o dedo ao elevado número de migrantes que entram na UE pela "rota dos Balcãs", através da Turquia e da Bulgária.

Ao mesmo tempo, as ONG alertam para o alegado uso de violência por parte dos guardas fronteiriços búlgaros.

A equipa de Euronews Witness deslocou-se à fronteira para investigar a questão.

A Bulgária é membro da NATO e da União Europeia. A Cortina de Ferro foi substituída por uma vedação moderna para impedir a entrada ilegal de imigrantes na UE.

Polícia búlgara acusada de agredir migrantes

Nos últimos meses, chegaram notícias perturbadoras da Bulgária. Vários agentes da polícia morreram em acidentes de viação envolvendo traficantes de seres humanos que transportavam migrantes. 18 migrantes morreram sufocados num camião. Guardas fronteiriços búlgaros são acusados de espancar migrantes e de os empurrarar de volta para a Turquia.

"Durante um ano, tivemos mais de 600 pessoas que partilharam oficialmente connosco o facto de terem sido vítimas de violência na fronteira e de terem empurradas na fronteira. Assistimos a muitos sustos. A polícia de fronteira búlgara batia-lhes", afirmou Diana Dimova, fundadora da organização de defesa dos direitos humanos Mission Wings.

A organização Bulgarian Helsinki Comittee (BHC)  documentou cerca de 5000 casos de repressões ilegais, no ano passado. Mas, os números reais podem ser muito mais elevados.

UE financia melhoria da gestão das fronteiras na Bulgária

A Euronews confrontou Ivaylo Tonchev com estas alegações. "Não há violência contra os imigrantes. Os únicos casos em que se recorre à força física estão em conformidade com a legislação. Mas há grupos agressivos de migrantes que nos atiram pedras", afirma Tonchev responsável da direção regional da polícia de fronteira em Elhovo.

Segundo dados fornecidos pelo Ministério do Interior da Bulgária, a polícia de fronteira búlgara impediu 164 mil tentativas de travessia irregular em 2022, em comparação com 55 mil em 2021.

A UE dá apoio à Bulgária na melhoria da gestão das fronteiras. Recentemente, foram atribuídos 200 milhões de euros ao país para ajudá-la a melhorar os controlos. Fontes bem informadas acreditam que a Bulgária poderá tornar-se membro de Schengen no final deste ano.

Clique no vídeo acima para ver a nossa reportagem completa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O paraíso de Tenerife em chamas

Bulgária proíbe entrada na UE a dois russos acusados de espionagem

Teatro: Putin "julgado" na Bulgária