EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

O impacto das ondas de calor no turismo espanhol

Vagas de calor têm afetado o sul da Europa
Vagas de calor têm afetado o sul da Europa Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Com os episódios de calor extremo a tornarem-se cada vez mais frequentes, intensos e prolongados, as alterações climáticas ameaçam destinos turísticos como Espanha.

PUBLICIDADE

Em plena onda de calor, ainda há quem ouse desafiar as temperaturas nas ruas. Milhares de turistas visitam Espanha e a sua capital por estes dias. 

Embora se queixem das altas temperaturas, continuam a aproveitar as férias... Bebem muita água, refugiam-se à sombra e aproveitam as horas de mais calor para se refugiar num museu, para apreciar não só a arte, como o ar condicionado. "Entrar num sítio com um pouco de ar condicionado, mesmo que por dez minutos, é ótimo", diz Serena Benitez da Argentina. 

Com episódios de calor extremo cada vez mais frequentes, intensos e prolongados, as mudanças climáticas ameaçam um dos principais recursos de Espanha: o turismo.

"Tradicionalmente, os turistas escolhem o sul da Europa pelo sol e pelas boas temperaturas, mas no último Índice de Perceção do Clima, visitantes da Grécia, Espanha e França expressaram sua insatisfação com o calor que superou todas as suas expectativas", diz o correspondente da Euronews em Madrid, Jaime Velázquez.

Segundo dados da European Travel Commission (ETC), o número de pessoas que espera viajar para a região do Mediterrâneo de junho a novembro já caiu 10% em relação ao ano passado. 

"As pessoas estão a esperar até ao último minuto para ver não onde vai chover, mas onde vai haver temperaturas extremas, para se adaptarem", dá conta Miguel Mirones, Presidente do Instituto Espanhol de Qualidade Turística. 

Novos destinos de verão inesperados estão em alta, como Reino Unido, Dinamarca ou Chéquia. E em Espanha, o norte da península, ainda a salvo do calor extremo. "As pessoas dizem que além de desfrutar do destino, vêm para dormir e querem encontrar um lugar com aquelas noites frescas do norte", realça Miguel Mirones.

Mas Espanha já está a adaptar a sua oferta turística ao novo cenário. "É uma mudança nas alternativas oferecidas pelo estabelecimento, em termos de organização de atividades em momentos em que os clientes não estão sujeitos a temperaturas extremas", explica o presidente do Instituto Espanhol de Qualidade Turística.

O setor espanhol sustenta que só a qualidade e a sustentabilidade dos destinos salvarão esses turistas que hoje desfrutam daquele que pode ser o verão mais fresco que ainda têm para viver.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ilha de Menorca: aldeia de Binibeca Vell com horário restrito de visitas durante o verão

Reconhecimento do Estado palestiniano é apenas um "pequeno passo", dizem espanhóis

O que está por trás da última polémica de Milei com o governo espanhol?