EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Giorgia Meloni promove conferência internacional sobre migração

Giorgia Meloni, primeira-ministra de Itália
Giorgia Meloni, primeira-ministra de Itália Direitos de autor Gregorio Borgia/AP Photo
Direitos de autor Gregorio Borgia/AP Photo
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O objetivo de Giorgia Meloni é estancar os fluxos migratórios ilegais. Ativistas dos direitos humanos desconfiam da iniciativa e temem políticas contra os migrantes.

PUBLICIDADE

A primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, pediu relações novas e "mais igualitárias" entre a Europa e os países de origem e trânsito dos migrantes.

O pedido foi feito na conferência patrocinada por Meloni, que reuniu cerca de 20 nações, autoridades da UE e organizações internacionais com o objetivo de estancar os fluxos de migração ilegal.

A chefe do governo italiano visa tornar a Itália líder na resolução de questões que afetam as nações mediterrâneas. O principal deles é a migração - já que a Itália sustenta centenas de recém-chegados diariamente na fronteira sul da Europa -, mas também a energia, já que a Europa busca em África e no Oriente Médio soluções para substituir definitivamente os suprimentos russos.

A presidente da Comissão Europeia tamb'em marcou presença no encontro. Ursula von der Leyen disse: "O Processo de Roma é uma oportunidade de união. É um novo fórum para nos entendermos melhor um ao outro, identificar os interesses e necessidades de cada um e encontrar soluções mutuamente benéficas".

Giorgia Meloni defendeu, por seu turno que “a Itália e a Europa precisam de imigração, mas não podemos dar o sinal de que quem entra ilegalmente será recompensado”. 

A primeira-ministra de Itália afirmo ainda: “No centro dos fluxos migratórios estão principalmente elas, as pessoas. Vidas, esperanças, medos, sofrimentos usados, explorados por organizações criminosas que seguem apenas a lógica do lucro. Obviamente, é nosso dever cuidar de nossas nações, mas também é nosso dever lidar com o destino dessas pessoas”.

“No centro dos fluxos migratórios estão principalmente elas, as pessoas. Vidas, esperanças, medos, sofrimentos usados, explorados por organizações criminosas que seguem apenas a lógica do lucro. Obviamente, é nosso dever cuidar de nossas nações, mas também é nosso dever lidar com o destino dessas pessoas”
Giorgia Meloni
Primeira-ministra de Itália

A Itália é a principal porta na fronteira sul da Europa e o fennómeno cresce exponencialmente nos últimos anos.83.439 migrantes desembarcaram no país desde o início de 2023. No ano passado, o total das chegadas foi de 33.972.

O total de chegadas à Europa por via marítima foi de 109.688 desde o início do ano, até 17 de julho.

Grupos de direitos humanos veem com desconfiança a iniciativa de Meloni, que inclui nações do norte e da África subsaariana e do Oriente Médio. Temem a criação de um roteiro futuro, que resulte em políticas anti-imigrantes e que coloquem em África a responsabilidade de manter os africanos fora da Europa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A pizza napolitana já tem três séculos e quem a faz diz que é a melhor

Meloni procura reforma constitucional para eleição direta do primeiro-ministro

Alemanha goleia Escócia no jogo inaugural do Euro 2024