EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Balanço de mortos dos incêndios no Havai sobe para 53

Governador local estima que 80% de Lahaina ficou completamente destruída
Governador local estima que 80% de Lahaina ficou completamente destruída Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Várias zonas de Maui continuam isoladas e sem eletricidade. Joe Biden fala numa catástrofe natural de grandes dimensões

PUBLICIDADE

A localidade histórica de Lahaina, no Havai, assemelha-se a uma zona de guerra: foi praticamente arrasada pelas chamas, sendo que o governador local estima que 80% da cidade ficou completamente destruída.

As suas casas e lojas foram destruídas, alguns perderam entes queridos e isto ainda não terminou
Joe Biden
Presidente dos EUA

O balanço de mortos subiu para 53 e tudo indica que o número deverá aumentar, uma vez que há ainda zonas da ilha de Maui com focos ativos às quais as equipas de resgate não conseguem aceder.

Joe Biden fala numa catástrofe natural de grandes dimensões. "Estamos a trabalhar tão rapidamente quanto possível para combater os incêndios e deslocar os residentes e turistas. As nossas preces vão para o povo do Havai. Não apenas as nossas orações: todos os recursos que temos serão disponibilizados. As suas casas e lojas foram destruídas, alguns perderam entes queridos, e isto ainda não terminou", declarou o presidente dos EUA.

Os fortes ventos do furacão Dora alimentaram as chamas que avançaram a um ritmo implacável. Algumas das vítimas mortais foram apanhadas dentro dos veículos.

Várias áreas estão sem eletricidade, o que impossibilita a muitos residentes confirmarem o paradeiro de familiares.

Mais de 12 mil turistas já foram retirados, muitos dos quais foram levados para centros de acolhimento em Honolulu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão

EUA: estudantes universitários são presos por protestos pró-palestinos