EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Como o Qatar está a revolucionar os cuidados de saúde

Como o Qatar está a revolucionar os cuidados de saúde
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No episódio desta semana, a Euronews descobre como o Qatar está a mobilizar os estudantes para se juntarem ao setor da saúde e a proporcionar tratamentos de alta qualidade por profissionais premiados

PUBLICIDADE

A escassez de pessoal no setor médico está a aumentar, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Até 2035, haverá um défice global de cerca de 12,9 milhões de médicos, parteiras, enfermeiros e outros profissionais de saúde.

Doha está a tornar-se rapidamente um dos principais centros de saúde do mundo e procura colmatar as lacunas para garantir uma melhor cobertura de saúde. Organizada pelo Centro de Desenvolvimento de Carreiras do Qatar, está a decorrer a quinta edição do programa My Career - My Future ("A minha carreira - O meu futuro"). Este programa oferece aos estudantes uma experiência de trabalho real numa vasta gama de setores, incluindo a medicina, numa tentativa de aumentar o número de estudantes que gostariam de seguir carreiras no setor médico.

A Euronews visitou o Hamad Medical Corporation em Doha, o principal prestador de cuidados de saúde sem fins lucrativos no Qatar, para descobrir como a iniciativa "A minha carreira - O meu futuro" está a ajudar os estudantes a tomar decisões mais informadas, graças aos mais de 100 estágios de uma semana e às oportunidades de acompanhamento de trabalho.

Euronews
Estudantes do programa "My Career - My Future" no Hamad Medical CorporationEuronews

Isto permite-lhes percorrer os corredores, falar com o pessoal e ver em primeira mão se esta é uma carreira potencial que podem ver por si próprios.

Noof Ahmed Alyafei, uma aluna do 10.º ano da Escola Secundária para Raparigas Al Wakra, está a participar no programa e disse que era uma ótima maneira de ver "o que um médico faz durante o dia e como funciona o seu trabalho e como nós, enquanto comunidade, devemos apreciá-los".

Diabetes - uma epidemia crescente

De acordo com um estudo recente publicado na revista médica The Lancet, 1,3 mil milhões de pessoas viverão com diabetes até 2050.

As pessoas oriundas ou com raízes no norte de África, Caraíbas Africanas, sul da Ásia e Médio Oriente têm um risco mais elevado de desenvolver diabetes de tipo 2.

A diabetes tipo 2 costumava ser considerada uma sentença de morte, porque não era possível livrar-se dela, mas pode ser reversível através de uma mudança no estilo de vida.

A Euronews falou com o principal investigador médico do Qatar Rayaz Malik, professor de medicina na Weill Cornell Medicine, no Qatar. Malik tem dedicado grande parte do seu trabalho ao rápido aumento da diabetes na região.

É claro que queremos culpar a genética, mas há um ditado famoso que diz que a genética carrega a arma, mas o ambiente puxa o gatilho.
Rayaz Malik
Professor de medicina no Weill Cornell Medicine

"O problema fundamental da diabetes de tipo 2 em, diria, mais de 70% das pessoas, é o excesso de peso, a alimentação incorreta, a falta de exercício físico, o aumento de peso e, consequentemente, a manifestação da diabetes de tipo 2", afirmou o Dr. Malik.

Malik tem dois passos simples para os diabéticos: (a) reduzir o consumo de hidratos de carbono brancos, como massas, batatas, pão e arroz e (b) aumentar o intervalo entre as refeições.

Euronews
Rayaz Malik, considerado o maior investigador médico do QatarEuronews

Publicou mais de 450 artigos médicos até à data. O seu maior orgulho é a investigação sobre microscopias confocais da córnea - um exame que utiliza inteligência artificial para identificar alterações neurodegenerativas em pessoas com risco de desenvolver esclerose múltipla, demência, esquizofrenia e doença de Parkinson. De acordo com o Dr. Malik, estes exames são 90% eficazes.

Instalações médicas de última geração

A formação de futuros médicos e prestadores de cuidados de saúde e o facto de estar na vanguarda da investigação médica não são os únicos pilares do crescimento do setor da saúde no Qatar. Graças a grandes investimentos, o número de instalações médicas de luxo na região está a aumentar e os planos de tratamento também foram melhorados como parte do esforço do país para entrar num mercado que se prevê que valha 11,1 mil milhões de euros até 2024.

Não é de admirar que uma das mais recentes instituições de saúde do Qatar, o Hospital Aman, ofereça cuidados médicos de alta qualidade, tecnologia de ponta e médicos reconhecidos internacionalmente.

Euronews
Uma máquina de TAC de última geração no Hospital AmanEuronews

Desde esquemas de cores quentes e interiores de luxo a cuidados especializados e personalizados, o Hospital Aman procura quebrar a tradição e acabar com a ideia de que os hospitais têm de ser locais monótonos, frios e pouco convidativos. Estes toques de boas-vindas fazem parte da abordagem holística, para ajudar a reduzir o stress e a ansiedade associados à doença.

"Para aumentar a satisfação, o conforto e a experiência global do doente, é preciso ser hospitaleiro. Concentramo-nos na experiência sensorial dos doentes em termos do seu olfato, da sua visão e do que conseguem ouvir. Tudo isto foi comprovado através de estudos que melhoram a experiência do paciente num hospital", afirmou Hassan Elbouatmani, diretor de Hospitalidade e Operações do Hospital Aman.

Os estudos também demonstram que o apoio pós-cirúrgico pode impulsionar a recuperação de um doente. É por isso que é uma parte tão essencial da estratégia de cuidados de saúde do hospital.

"Acreditamos que uma nutrição de qualidade é uma parte integrante do processo de recuperação dos doentes. Por isso, como parte da nossa equipa, temos um chefe e uma equipa na sua cozinha que são os únicos responsáveis por fornecer refeições nutritivas e de qualidade tanto aos doentes, numa perspetiva de recuperação, como às suas famílias", continuou Elbouatmani.

PUBLICIDADE
Euronews
As refeições fazem parte do tratamento personalizado do Hospital AmanEuronews

O hospital também investiu fortemente em equipamento médico topo-de-gama, como explicou o Dr. Hussain Ismaeel, Presidente dos Serviços Médicos do Aman Hospital: "A inovação tecnológica é um pilar fundamental deste hospital. No departamento de radiologia, certificámo-nos de que dispúnhamos da mais recente tecnologia e de scanners de TAC [tomografia computorizada], ressonância magnética e máquinas de ultrassons. Este equipamento permite-nos não só efetuar procedimentos radiológicos regulares, mas também imagiologia cardíaca avançada e TAC cardíaca.

No que diz respeito à investigação, o Hospital Aman tem acesso a uma base de dados internacional. De acordo com o Dr. Bassem Safadi, Presidente dos Serviços Cirúrgicos, foi a primeira instituição de cuidados de saúde fora do Reino Unido a ser incluída na Rede Privada de Cuidados de Saúde do Imperial College, uma afiliação de renome que permite aos membros partilhar conhecimentos e competências para melhorar os cuidados e as operações dos doentes.

O Hospital Aman está ligado à maior rede de hospitais-escola do Reino Unido. O Imperial College Health Care NHS Trust tem cinco hospitais no noroeste de Londres. Assim, os nossos consultores têm o privilégio de visitar estes hospitais em primeira mão e de participar como observadores nas suas discussões multidisciplinares.
Bassem Safadi
Diretor de Serviços Cirúrgicos do Hospital Aman

Apesar de ser um dos hospitais mais recentes do Qatar, os planos de expansão já estão em curso. No próximo ano, o Aman Hospital deverá abrir uma clínica na baixa de Msheireb, no coração de Doha.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Como o Qatar está a investir nos cuidados de saúde