EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Steinmeier e Matarella focados numa solução europeia para os migrantes

Presidente da Alemanha, Frank Walter Seteinmeier, e Presidente de Itália, Sergio Mattarella
Presidente da Alemanha, Frank Walter Seteinmeier, e Presidente de Itália, Sergio Mattarella Direitos de autor Vía agencias.
Direitos de autor Vía agencias.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidentes alemão e italiano encontram-se em Siracusa e discutem a crise migratória.

PUBLICIDADE

A imigração ilegal é um dos principais temas das conversações mantidas em Siracusa pelos Presidentes da Itália e da Alemanha. Sergio Mattarella e Frank Walter Seteinmeier, que vieram à cidade siciliana para uma cerimónia de entrega de prémios e partilharam a preocupação com um problema difícil de resolver e que deve ser tratado a nível europeu:

"Apesar de terem entrado em conflito sobre a questão da migração nos últimos dias, a Itália e a Alemanha têm uma coisa em comum. De acordo com o Presidente Steinmeier, na verdade, a Itália e a Alemanha estão a enfrentar dificuldades em receber mais migrantes. Ambos os países estão no limite das capacidades.

Isto é exatamente o que o Presidente alemão disse ao jornal italiano “Il Corriere della Sera” numa entrevista publicada antes da visita de três dias a Itália.

Não há muito tempo, a Alemanha suspendeu a admissão voluntária de migrantes da Itália, embora isso tenha mudado nos últimos dias com a Alemanha a regressar ao acordo entre os dois países.

A Alemanha recebeu 162.000 pedidos de asilo em 2023 e é o país da UE que, ao abrigo de um acordo de solidariedade voluntária, recebeu o maior número de migrantes que chegam às costas italianas.

Segundo Steinmeier, a força das relações bilaterais entre a Itália e a Alemanha não será prejudicada pela crise atual; foi o que disse ao jornal italiano “Il Corriere della Sera”. Steinmeier acrescentou que o problema reside no facto de que o que é um acordo voluntário deve transformar-se num mecanismo de redistribuição permanente que exige que mais países da UE façam a sua parte e partilhem o fardo da crise," relatou a jornalista da euronews em Roma, Giorgia Orlandi.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Reunião do EuroMed 9 sem progressos sobre a imigração

Dúvidas sobre eficácia de plano da UE para crise dos migrantes em Lampedusa

Migrantes de Lampedusa estão a ser transferidos para a Itália continental