EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Cada vez mais migrantes passam da Hungria para a Eslováquia

Cerca de 20 mil pessoas fizeram este percurso nos últimos meses
Cerca de 20 mil pessoas fizeram este percurso nos últimos meses Direitos de autor ATTILA KISBENEDEK/AFP
Direitos de autor ATTILA KISBENEDEK/AFP
De  Magyar Ádám
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um documento emitido pelo governo eslovaco atrai cada vez mais migrantes. Situação está a dar alento à oposição de direita.

PUBLICIDADE

Usando rotas como a do rio Ipel, quase 20 mil migrantes ilegais atravessaram a fronteira entre a Hungria e a Eslováquia nos últimos meses, de acordo com as autoridades locais. Fazem a viagem na esperança de obter um documento oficial da Eslováquia e viajar para a Europa Ocidental.

Viktor Lestyánszky, presidente do município de Ipeľské Predmostie, conta à Euronews: "No início, havia uma clara vontade de ajudar por parte dos aldeões, davam comida e bebida e, se precisassem de qualquer outra ajuda, tinham todo o gosto em fornecê-la. Mas, à medida que se tornava cada vez mais frequente e chegavam grupos cada vez maiores, as pessoas ficaram preocupadas."

Alguns atravessam a nado o rio Ipel' que divide os dois países, mas os que tentam atravessar a pé têm mais facilidade. A ponte pedonal frágil que liga Ipeľské Predmostie, na Eslováquia, aos arredores de Drégelypalánk, na Hungria, é um dos pontos de passagem de fronteira mais importantes para os migrantes. Um maço de cigarros vermelho com letras cirílicas, que provavelmente viajou com o seu proprietário desde a Sérvia, mostra que estiveram aqui recentemente.

Documento não dá direito de estadia

As autoridades eslovacas afirmam que o documento oficial que procuram não lhes confere quaisquer privilégios especiais, mas, mesmo assim, arriscam. O objetivo é serem detidos o mais rapidamente possível à chegada à Eslováquia. A Euronews encontrou um grupo já detido pela polícia.

Embora o documento de chegada esteja disponível há anos, os imigrantes só começaram a chegar recentemente. Segundo alguns políticos eslovacos, o Ministério do Interior húngaro deu instruções à polícia para não deter os imigrantes que se dirigem para a Eslováquia. A polícia húngara não respondeu aos nossos repetidos pedidos de comentário sobre esta alegação.

Situação beneficia partido de Fico

Alguns analistas dizem que culpar o governo húngaro é uma teoria da conspiração, mas o aliado de Viktor Orban na Eslováquia está a beneficiar da situação antes das eleições de sábado: "A questão em si é certamente boa para o ex-primeiro-ministro e atual líder da oposição Robert Fico, porque os partidos liberais ou de direita têm dificuldade em lidar com ela. De qualquer forma, a Eslováquia nunca foi um país de destino para imigrantes e o facto de um grande número de imigrantes ou imigrantes ilegais estarem a aparecer na Eslováquia é claramente uma situação nova para as autoridades, que não estão preparadas para isso", diz o analista político Géza Tokár.

Algumas horas mais tarde, estamos de volta à aldeia, no momento em que chega o autocarro para os imigrantes que esperam. Depois de uma revista minuciosa, a polícia e os soldados carregam-nos no veículo, que os leva a um ponto de encontro bem guardado, num armazém abandonado. Não nos é permitido ir mais longe.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Eu perdoo-o": Robert Fico diz que não sente "nenhum ódio" pelo seu agressor

A proliferação de notícias falsas na Eslováquia serve de aviso à UE

Primeiro-ministro eslovaco foi submetido a nova operação e permanece em estado crítico