EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Este é o mês mais violento de que há registo na Suécia

Mulher de 25 anos foi vítima colateral da guerra de gangues
Mulher de 25 anos foi vítima colateral da guerra de gangues Direitos de autor Stefan Jerrevang/AP
Direitos de autor Stefan Jerrevang/AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Violência tem vindo a crescer no país. Esta quinta-feira, uma mulher morreu numa explosão que se acredita estar ligada a uma guerra de gangues.

PUBLICIDADE

Na Suécia, uma mulher morreu na sequência do que a polícia acredita ser a mais recente de uma série de explosões ligadas a uma guerra de gangues. O crime ocorreu numa zona residencial em Fullerö, a norte da cidade de Uppsala. 

Os investigadores dizem que a jovem de 25 anos era vizinha das instalações visadas e não tinha quaisquer ligações com o mundo do crime.

Esta morte acontece um dia depois de duas outras pessoas terem sido mortas em tiroteios que se acredita estarem ligados a esta guerra, que terá começado com uma cisão no gangue Foxtrot.

Este mês de setembro está a ser o mês mais violento, em termos de mortes em tiroteios, de que há registo na Suécia, desde que a contagem começou a ser feita em 2016. 

Até à data, 11 pessoas foram mortas a tiro no país, só este mês. O número de mortes violentas também cresceu no ano passado face a 2021.

Há alguns anos que a violência de gangues, em particular ligada ao tráfico de droga e armas, tem vindo a abalar a Suécia, o que tem levado o governo de centro-direita a criar leis mais rígidas sobre este tipo de violência.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças Armadas suecas vão ajudar polícia na luta contra onda de criminalidade sem precedentes

Suécia diz que avião de guerra russo violou o seu espaço aéreo

Ucraniano pró-russo detido em hospital francês por suspeita de planear um atentado