EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

ONG SOS Méditerranée distinguida com Nobel alternativo

SOS Méditerranée foi distinguida pelo trabalho no mar Mediterrâneo.
SOS Méditerranée foi distinguida pelo trabalho no mar Mediterrâneo. Direitos de autor Claude Paris/Copyright 2018 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Claude Paris/Copyright 2018 The AP. All rights reserved.
De  Euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Prémio foi ainda atribuído ao movimento Mãe Natureza Camboja e a duas mulheres ativistas.

PUBLICIDADE

A organização não-governamental SOS Méditerranée foi uma das distinguidas com o prémio Right Livelihood.

Conhecido como o Nobel alternativo, distingue projetos focados em problemas globais.

"A organização não-governamental internacional SOS Méditerranée recebe o prémio por causa das suas operações humanitárias de busca e resgate, que salvam vidas no Mar Mediterrâneo", anunciou Jens Ole von Uexküll, diretor da Fundação Prémio Right Livelihood.

Desde a sua fundação em 2015, a organização salvou até 40 mil pessoas na perigosa rota migratória do mar Mediterrâneo.

"Os laureados com o Right Livelihood de 2023 levantam-se para salvar vidas, preservar a natureza e salvaguardar a dignidade e os meios de subsistência das comunidades em todo o mundo. Testemunham o sofrimento indescritível e exigem um futuro habitável para todos. Com um trabalho concreto e corajoso, lutam pelo direito das pessoas à saúde, à segurança, a um ambiente limpo e à democracia", acrescentou Jens Ole von Uexküll.

Igualmente distinguido com o Nobel alternativo foi o movimento de defesa do ambiente Mãe Natureza Camboja, que preserva o meio e dá formação às populações locais ao nível da defesa dos respetivos direitos.

Este ano o prémio decidiu ainda reconhecer duas mulheres ativistas: a ativista ambiental queniana Phyllis Omido e a ex-ministra da Saúde do Gana Eunice Brookman-Amissah.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Em Monfalcone, Itália, um terço dos residentes é imigrante mas a autarquia é de extrema-direita

Lampedusa está sobrecarregada depois de receber mais de 1000 migrantes em 24 horas

Salvini julgado por recusar desembarque de migrantes: "Orgulhoso do que fiz"