EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Feijóo esbarra de vez no Parlamento: não forma governo sem novas eleições

Alberto Núñez Feijóo já previa este desfecho
Alberto Núñez Feijóo já previa este desfecho Direitos de autor Paul White/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Paul White/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As duas saídas são a investidura de Pedro Sánchez para um novo mandato ou a repetição das eleições legislativas.

PUBLICIDADE

Alberto Núñez Feijóo voltou a perder a investidura no governo espanhol. O Congresso dos Deputados votou, pela segunda vez, a nomeação do líder do Partido Popular (PP), de centro direita, para formar governo. E, pela segunda vez, a hipótese foi rejeitada, desta vez com 177 votos contra, 172 a favor e um nulo. 

Este resultado invalida qualquer hipótese de o líder da direita espanhola vir a formar governo sem novas eleições. Nas eleições de julho, o PP foi o partido mais votado, seguido pelos socialistas do PSOE.

Restam agora duas opções: ou a repetição das legislativas ou a nomeação do socialista Pedro Sánchez, Presidente do Governo em exercício, para um novo mandato. Algo a que Feijóo chama "o governo da mentira": "Só há duas saídas e nenhuma delas é honrosa: o governo da mentira ou novas eleições", disse Feijóo.

Só há duas saídas e nenhuma delas é honrosa: o governo da mentira ou novas eleições.
Alberto Núñez Feijóo
Líder do Partido Popular (PP) espanhol

A investidura de Sánchez não está garantida e depende dos votos dos independentistas catalães, que já disseram que só dão o aval a Sánchez se houver uma amnistia a todos os implicados no referendo de 2017. 

Sánchez ainda não disse claramente se o vai fazer, mas a hipótese já suscitou fortes críticas por parte do PP e do VOX, partido de extrema-direita. Se não houver maioria parlamentar para formar governo até 27 de novembro, Espanha vai a novas eleições no dia 14 de janeiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O candidato que quer abolir o "sanchismo"

Ilha de Menorca: aldeia de Binibeca Vell com horário restrito de visitas durante o verão

Reconhecimento do Estado palestiniano é apenas um "pequeno passo", dizem espanhóis