EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

União Europeia promete "apoio duradouro" à Ucrânia

Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, ao centro, posa para foto com os participantes da reunião informal de Ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, Kiev, Ucrânia
Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, ao centro, posa para foto com os participantes da reunião informal de Ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, Kiev, Ucrânia Direitos de autor AP/Ukrainian Presidential Press Office
Direitos de autor AP/Ukrainian Presidential Press Office
De  Luis GuitaEuronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Diplomacia da União Europeia promete "apoio duradouro" à Ucrânia, em reunião "histórica" em Kiev. Zelenskyy diz que UE deve mostrar disponibilidade para iniciar as negociações de adesão da Ucrânia ao bloco. Alemanha pediu "plano de proteção de inverno" para a infraestrutura energética ucraniana.

PUBLICIDADE

Ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE) encontraram-se, segunda-feira em Kiev, para uma "reunião histórica" destinada a traçar as linhas de "apoio duradouro" à Ucrânia, que enfrenta a invasão russa e pretende integrar a UE.

Uma ocasião para a UE mostrar à Rússia que não deve contar com o "cansaço" do bloco europeu.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, considerou que a vitória da Ucrânia “depende diretamente” da cooperação entre Kiev e os seus aliados ocidentais.

O chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kouleba, afirmou que "a maior esperança de (Vladimir) Putin é precisamente que o Ocidente e o mundo se cansem de ficar do lado da Ucrânia nesta guerra".

O Presidente Zelenskyy destacou que a União Europeia deve mostrar disponibilidade para iniciar as conversações de adesão da Ucrânia ao bloco

"O nosso principal objetivo de integração é chegar a uma decisão este ano para iniciar negociações de adesão. Hoje, ouvi, mais uma vez, nas reuniões e negociações que isso é absolutamente possível. A Ucrânia, certamente, cumpre a sua parte do trabalho – as sete recomendações da Comissão Europeia. É muito importante que por parte da União Europeia, de todos os seus Estados-Membros, haja uma disponibilidade semelhante para uma decisão política sobre a Ucrânia, sobre o início das negociações,” afirmou Zelenskyy perante 24  ministros dos Negócios Estrangeiros - estando os da Polónia, da Hungria e da Letónia ausentes por vários motivos,

Há anos que a Ucrânia pretende aderir à UE e foi-lhe concedido o estatuto de candidato a adesão em Junho de 2022, mas, para dar o próximo passo, Kiev ainda precisa de fazer progressos, especialmente na luta contra a corrupção.

A Alemanha pediu a implementação de um “plano de proteção de inverno para permitir à Ucrânia fazer face ao bombardeamento da sua infraestrutura energética, como no ano passado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia testa sistemas de alerta de ataques aéreos

Populistas que se opõem à ajuda à Ucrânia vencem legislativas eslovacas

Borrell "lamenta profundamente" que Congresso dos EUA tenha abandonado a ajuda à Ucrânia