EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Em 2024 os europeus acima de 65 anos serão mais do que os jovens com menos de 15 anos

Idosas com uma bandeira da União Europeia
Idosas com uma bandeira da União Europeia Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

OMS recomenda exercício físico e comida saudável para evitar doenças associadas ao envelhecimento e insta os governos a preocuparem-se com políticas para os mais idosos.

PUBLICIDADE

A população da Europa está a envelhecer rapidamente; no próximo ano estima-se que os maiores de 65 anos superarão os menores de 15 anos e os hábitos e atitudes precisam ser ajustados em conformidade. 

Essa é a mensagem de um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), que defende estilos de vida mais saudáveis para garantir o bem-estar na idade avançada.

O ponto de partida é uma alimentação melhor, diz o relatório, e os governos deveriam fazer mais.

Stephen Whiting, Conselheiro de Desporto e Saúde, da OMS, explica: “Para promover uma alimentação saudável é preciso reformular os alimentos, reduzir o teor de sal dos alimentos, eliminar as gorduras trans, o consumo de açúcar. Além disso, as campanhas de comunicação e de sensibilização pública específicas para os idosos poderiam ser benéficas, mas também o desenvolvimento de ambientes amigos dos idosos através do desenho e planeamento urbano."

Manter-se ativo e praticar exercícios regularmente também é crucial. A OMS diz que não são apenas os indivíduos que beneficiam do facto de manter a forma, são também os estados.

“Publicámos um relatório em colaboração com a OCDE, no início deste ano, sobre o custo da inatividade física nos sistemas de saúde da União Europeia e estimamos que poderiam ser poupados 8 mil milhões de euros por ano se mais pessoas fossem fisicamente ativas e cumprissem as recomendações da OMS sobre os níveis de atividade física”, diz Whiting.

O relatório insta os governos a concentrarem-se no envelhecimento saudável e afirma que a idade não precisa de estar associada a doenças como o cancro, a diabetes e a demência se forem fornecidas bases para que as pessoas protejam o seu bem-estar, e aconselha o investimento na prevenção de problemas de saúde na velhice.

Exercício físico e comida saudável

De acordo com o relatório da OMS para a Europa sobre o envelhecimento saudável, recomenda-se que as pessoas com 65 anos ou mais façam “exercícios aeróbicos de intensidade moderada” durante pelo menos duas horas e meia por semana. Isto pode ser uma caminhada rápida.

Alternativamente, para pessoas em boa forma, recomenda-se 75 minutos por semana de exercícios vigorosos, como natação ou corrida.

O documento afirma que também é vital que mais idosos façam fortalecimento muscular pelo menos dois dias por semana para melhorar a mobilidade e prevenir quedas e aconselha as pessoas com doenças crónicas a fazerem tanto exercício quanto forem capazes.

Stephen Whiting diz que a pandemia de COVID mostrou que pessoas mais saudáveis são mais capazes de resistir a doenças.

“Existem dados que mostram que a inatividade física, o sobrepeso e a obesidade foram um enorme fator de risco para resultados graves de COVID e COVID longa. Portanto, este é um momento realmente oportuno para realmente investir na prevenção, sejam elas futuras emergências, futuras pandemias, eventos de calor e emergências relacionadas com as alterações climáticas, promover a atividade física e dietas saudáveis para todos os grupos populacionais, bem como para os idosos, é uma situação em que todos ganham e é uma intervenção rentável”, conclui.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

OMS realiza primeira cimeira sobre medicina tradicional

Só um país na Europa está a fazer o suficiente para que as pessoas deixem de fumar, diz a OMS

OMS apela à continuação da vacinação contra a Covid-19