EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Bélgica e Suécia unidas contra o terrorismo

Primeiros-ministros da Bélgica e da Suécia
Primeiros-ministros da Bélgica e da Suécia Direitos de autor AP Photo/Martin Meissner
Direitos de autor AP Photo/Martin Meissner
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

"Não somos nós que devemos mudar o nosso modo de vida”, defendeu Ulf Kristersson, o primeiro-ministro da Suécia.

PUBLICIDADE

Os primeiros-ministros da Bélgica e da Suécia estão unidos contra o terrorismo, depois do ataque de segunda-feira que matou dois adeptos suecos de futebol em Bruxelas. 

 Esta quarta feira, os ministros participaram numa cerimónia em memória das vítimas.

O país escandinavo está em estado de choque com o tiroteio que aconteceu pouco antes do início do jogo de futebol. Um motorista de táxi também ficou ferido.

O suspeito do ataque, um tunisino de 45 anos que vivia ilegalmente na Bélgica, foi morto a tiro pela polícia. Numa publicação nas redes sociais após os assassinatos, o atirador gabou-se de ser inspirado pelo grupo Estado Islâmico.

"Esta luta não é fácil. Já vimos isso nos últimos anos. É uma luta que temos de ganhar, e quero deixar claro que vamos ganhá-la juntos", declarou Alexander De Croo, o primeiro-ministro da Bélgica.

"Proteger as nossas sociedades, defender e manter os nossos valores, isso é fundamental. Não desistimos dos nossos valores. Não somos nós que devemos mudar o nosso modo de vida”, afirmou Ulf Kristersson, o primeiro-ministro da Suécia

Por toda a Europa, durante os jogos de qualificação da Uefa, foram observados momentos de silêncio em memória dos adeptos assassinados e de outras vítimas recentes de violência.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Detido na Alemanha um dos três membros da Fação do Exército Vermelho

Ministros da UE analisam como travar ataques terroristas de "lobos solitários"

Detidos na Bélgica sete supeitos de planearem "ataque terrorista"