EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Milhares de eslovacos protestam contra plano do Governo para controlar a emissora pública

Milhares de eslovacos protestam contra medida do Governo de revisão do serviço de rádio e televisão
Milhares de eslovacos protestam contra medida do Governo de revisão do serviço de rádio e televisão Direitos de autor Jaroslav Novak/Tlacova agentura SR
Direitos de autor Jaroslav Novak/Tlacova agentura SR
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A reforma foi fortemente criticada tanto na Eslováquia como em Bruxelas. Os críticos receiam que o Governo passe a controlar totalmente os órgãos de comunicação social nacionais.

PUBLICIDADE

Milhares de pessoas voltaram a manifestar-se na quinta-feira na capital eslovaca para condenar uma controversa revisão dos serviços públicos de rádio e televisão do país, uma medida que, segundo os críticos, levaria o Governo a assumir o controlo total dos órgãos de comunicação social.

O governo de coligação do primeiro-ministro populista Robert Fico aprovou esta medida a 24 de abril e o Parlamento, onde o governo de Fico tem a maioria, deverá aprovar as alterações em junho.

"Estamos a mostrar a todos que não vamos deixar que nos tirem a liberdade, não vamos deixar que nos forcem a sair da Eslováquia que amamos e não vamos deixar que Fico arraste a Eslováquia para fora da Europa, para a Rússia", disse um dos organizadores do protesto, Michal Šimečka, líder da Eslováquia Progressista.

Esta medida foi, no entanto, fortemente criticada pela presidente da Eslováquia Zuzana Čaputová, bem como por jornalistas locais, pela oposição e pela Comissão Europeia.

Nova medida visa substituir a emissora pública

As alterações propostas significariam que o organismo de transmissão público conhecido como RTVS deixaria de existir e seria susbtituído por uma nova organização. O plano de aquisição foi elaborado pela ministra da Cultura, Martina Šimkovičová, que representa o Partido Nacional Eslovaco, um membro ultra-nacionalista da coligação governamental.

Šimkovičová, que trabalhou para um canal de televisão digital, conhecido por disseminar informações falsas, afirmou que a atual emissora pública “só dá espaço às opiniões dominantes e censura o resto”, segundo as agências internacionais. A RTVS já reagiu ao comentário de Šimkovičová e negou as acusações. 

De acordo com esta medida, a nova emissora terá um diretor selecionado por um conselho de nove membros, que serão nomeados pelo Ministério da Cultura e pelo Parlmento.

O partido de esquerda Smer, de Fico, venceu as eleições parlamentares de 30 de setembro com uma plataforma pró-russa e anti-americana. Os críticos receiam, segundo as agências internacionais, que a Eslováquia de Fico abandone o seu rumo pró-ocidental e siga o mesmo rumo que a Hungria.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eslovacos protestam contra planos de governo para controlar emissoras

Eslováquia: protestos contra reformas da televisão pública

Eslovacos vão às urnas escolher entre primeiro-ministro pró-russo ou pró-ocidental