EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Prémio Princesa das Astúrias da Concórdia distingue ONG "Mary's Meals"

Prémio Princesa das Astúrias da Concórdia distingue ONG "Mary's Meals"
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Charlotte Lam
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Euronews falou com dois dos responsáveis em África desta ONG que leva alimentos às crianças necessitadas de todo o mundo.

PUBLICIDADE

A Euronews veio até Oviedo, em Espanha, onde são entregues os Prémios Princesa das Astúrias 2023. Falámos com os vencedores na categoria "Concórdia" - Mary's Meals, uma organização sem fins lucrativos sediada na pequena cidade escocesa de Dalmally, mas cujo alcance é muito maior. 

O principal objetivo da Mary's Meals é fornecer uma refeição diária às crianças em idade escolar. A organização opera em dezoito dos países mais pobres do mundo.

Falámos com dois dos diretores da Mary's Meals em África - Amina Iddy Swedi, do Quénia, e Panji Chipson Kajani, da Zâmbia.

Charlotte Lam, Euronews: Antes de mais, parabéns. Qual é a sensação de estar aqui em Espanha a receber um prémio tão prestigiado?

Panji Chipson Kajani, diretor da Mary's Meals na Zâmbia: Na Mary's Meals, sentimo-nos muito honrados e humildes por sermos reconhecidos com o prémio da Concórdia, mas não é algo que tomamos como garantido, pois é graças a todo o apoio que recebemos de todo o mundo, de todos os tipos de pessoas, que temos agora este prémio.

Amina Iddy Swedi, directora da Mary's Meals no Quénia: Queria acrescentar algo ao que o Panji disse. A palavra "concórdia" significa juntar as pessoas e, quando olhamos para o modelo da Mary's Meals, trabalhamos com comunidades e voluntários, por isso estou muito entusiasmada porque está de acordo com o que o nome "concórdia" significa. Estou muito contente por estar aqui.

A história da origem da Mary's é bastante notável: Ao ver o que se passava na Bósnia nos anos 90, o diretor executivo Magnus MacFarlane-Barrow, juntamente com o irmão, começou a angariar ajuda e entregou-a pessoalmente no local. Gostaria de saber: O que a atraiu para a Mary's e para esta linha de trabalho?

Amina Iddy Swedi:A Mary's Meals tem uma visão muito clara, que consiste em fornecer refeições nos locais de ensino. Normalmente, quando me fazem essa pergunta, inverto-a e pergunto "o que é que me fez ficar depois de todos estes anos?". Estou a trabalhar neste momento no Quénia, é um lugar que tem sido marginalizado. Consegui ver o impacto em tempo real, desde 2018, quando começámos naquela região em particular, até agora. Por isso, sinto-me muito honrada em trabalhar com a Mary's Meals.

Panji Chipson Kajani: Por formação, sou educador, por isso sinto-me inspirado sempre que vejo intervenções que pretendem levar a educação às crianças. Sou natural do Malawi. A alimentação escolar da Mary's Meals começou no Malawi e vi os benefícios em primeira mão. Além disso, esta é uma das poucas intervenções no mundo cujos resultados podem ser vistos quase instantaneamente e isso tem-me mantido ativo nos últimos 12 anos.

Por falar em resultados, a cerimónia de entrega de prémios reconheceu a Mary's Meals pelo seu "modelo operacional inovador e eficaz que permite uma utilização ótima dos recursos". O que é que torna o modelo desta organização sem fins lucrativos diferente dos outros?

Amina Iddy Swedi: Gostaria de referir um ano recente, 2020, quando a Covid aconteceu e todas as escolas foram fechadas. Trabalhamos com comunidades muito marginalizadas e sabíamos que, depois da Covid, iríamos encontrar uma comunidade muito adormecida. Estávamos com dúvidas sobre como poderíamos avançar. 

A Mary's Meals é uma organização que assenta na organização comunitária.
Amina Iddy Swedi
Diretora da Mary's meals no Quénia

O que aconteceu foi que estabelecemos uma parceria com a comunidade e foi ela quem criou um modelo que nos permitiu continuar a alimentar as crianças enquanto estavam em casa. Por isso, para mim, a Mary's Meals é uma organização que assenta na organização comunitária, o que, por sua vez, leva à apropriação pela comunidade.

Isso leva-me à minha próxima pergunta. Panji, têm sido uns anos difíceis a nível global. Sabemos que os elevados níveis de inflação e o aumento do custo de vida estão a contribuir para a fome a nível mundial. De que forma é que os recentes acontecimentos mundiais, desde a pandemia à guerra na Ucrânia, passando pelos bloqueios alimentares, afetaram ou alteraram a missão da Mary's Meals?

Panji Chipson Kajani: Felizmente, devido ao modelo localizado que utilizamos, à boa gestão que aplicámos e aos recursos que recebemos, apesar da turbulência na economia global, as pessoas continuaram a confiar em nós e, porque continuam a confiar em nós, continuam a avançar com estes pequenos presentes e, quando os recebemos, continuamos a poder cumprir a nossa promessa às crianças, por isso estamos gratos às pessoas de todo o mundo por continuarem a confiar em nós, mesmo com a turbulência na economia global.

A situação de insegurança alimentar está a alastrar e a atingir novos níveis em muitos países. Neste preciso momento, assistimos a uma crise humanitária crescente no Médio Oriente. Como vê o futuro?

Amina Iddy Swedi: Neste momento, neste espaço em que nos encontramos, e ainda bem que o mencionou, há crises e inflação a acontecer. A nossa primeira prioridade na Mary's Meals é manter a promessa às crianças que alimentamos atualmente, pelo que tentamos fazê-lo tanto quanto possível. Por exemplo, este ano tivemos uma inflação elevada nos alimentos, mas o nosso objetivo tem sido manter a promessa a estas crianças. O nosso objetivo também é crescer, mas a primeira prioridade é manter a promessa a estas crianças que alimentamos atualmente.

Panji Chipson Kajani: Só para acrescentar ao que a Amina disse, a Mary's Meals é um programa centrado nas necessidades. Reconhecemos que há muitas crianças a precisar de alimentos e, por isso, temos de ter uma forma robusta de selecionar os alvos para podermos chegar aos mais vulneráveis e acreditamos que, neste momento, o estamos a conseguir. 

Não temos planos imediatos para ir a Gaza, mas estamos a monitorizar a situação muito, muito de perto.
Panji Chipson Kajani
Diretor da Mary's meals na Zâmbia

Porque queremos chegar aos mais vulneráveis, estamos continuamente a avaliar e a reavaliar, por isso, se houver oportunidades e recursos, devemos chegar aos mais necessitados, como na situação de que estamos a falar em Gaza. Não temos planos imediatos para lá ir agora, mas estamos a monitorizar a situação muito, muito de perto.

PUBLICIDADE

As questões globais como a fome no mundo podem estar a causar uma saturação em algumas pessoas. Sabem que está a acontecer, mas não é da sua esfera de ação. Como é que vocês, na Mary's Meals, e como indivíduos, mantêm o público em geral envolvido e como mantêm esta questão nas mentes das pessoas?

Amina Iddy Swedi: A nossa estrutura de angariação de fundos centra-se nas pessoas , ou seja, nos doadores individuais, como você e eu, e temos visto estabilidade nesse campo, ao passo que se sente algum cansaço por parte dos doadores institucionais. Podemos continuar a inspirar as pessoas e, por isso, a fadiga dos doadores é limitada quando se olha para as coisas dessa forma.

Panji Chipson Kajani: A viagem começa com um passo, mas pode acabar com milhares de quilómetros. Por isso, o que desejamos é partilhar esta história. A história da alegria que advém da alimentação escolar. Alimentação mais educação é igual a esperança e quando partilhamos essa história criamos discípulos, que por sua vez criam outros discípulos e, ao fazê-lo continuamente, estamos a revigorar-nos mutuamente para lidar com o problema do cansaço.

Nome do jornalista • Charlotte Lam

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vice-presidente do Malawi morreu em desastre de avião

Líder militar vence eleições no Chade, apesar de alegações de fraude

Canárias recebem dezenas de migrantes por dia e já duplicaram centros de acolhimento