Netanyahu insiste: "não há cessar-fogo sem libertação de reféns"

AP
AP Direitos de autor Ohad Zwigenberg/Copyright 2023 The AP All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Israel continua a bombardear intensamente o norte da Faixa de Gaza e Exército avança na Cidade de Gaza, com dezenas de milhares de palestinianos a fugirem para o sul

PUBLICIDADE

Israel continua a bombardear intensamente o norte da Faixa de Gaza, ao mesmo tempo que insiste que o Hamas perdeu o controlo da região.

Há relatos de possíveis negociações para a libertação de 12 reféns israelitas em troca de uma pausa humanitária de 3 dias, mas Telavive rejeita os rumores.

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelita:"Gostaria de pôr fim a todos os falsos rumores que estamos a ouvir de todas as direcções e reiterar uma coisa clara: não haverá cessar-fogo sem a libertação dos nossos reféns. Tudo o resto é falso."

As forças israelitas dizem estar a avançar para o interior da Cidade de Gaza e afirmam ter feito danos significativos nas infraestruturas militares do Hamas. Ambos os lados têm divulgado imagens dos intensos combates no terreno.

Segundo o Exército israelita, esta quarta-feira cerca de 50.000 habitantes fugiram da Cidade de Gaza, em direção ao sul do enclave palestiniano.

Entretanto, a passagem fronteiriça de Rafah, entre a Faixa de Gaza e o Egito, foi descrita pelo alto comissário da ONU para os Direitos Humanos como "as portas para um verdadeiro pesadelo". Em visita ao local, Volker Turk afirmou que tanto o Hamas como Israel são responsáveis por crimes de guerra no conflito iniciado a 7 de outubro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Marcha de cinco dias chega a Jerusalém para exigir regresso de reféns a Israel

Milhares de pessoas em Israel exigem libertação dos reféns e demissão de Netanyahu

Agência Humanitária da ONU na Palestina alerta para "ponto de rutura" em todas as atividades