EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Rebeldes Houthi do Iémen sequestam navio ligado a Israel e fazem 25 reféns

Arquivo: Galaxy Leader no porto de Koper, na Eslovénia, a 16 de setembro de 2008
Arquivo: Galaxy Leader no porto de Koper, na Eslovénia, a 16 de setembro de 2008 Direitos de autor Kristijan Bracun/AP
Direitos de autor Kristijan Bracun/AP
De  euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Israel descreve o incidente como um "ato de terrorismo iraniano" com consequências para a segurança marítima internacional.

PUBLICIDADE

Os rebeldes Houthis do Iémen sequestraram um navio de carga ligado a Israel numa rota marítima crucial do Mar Vermelho este domingo. A informação foi avançada pelas autoridades israelitas e mais tarde confirmada pelos rebeldes. Telavive diz ainda que duas dúzias de membros da tripulação foram como reféns e aumentando os receios de que as tensões regionais. 

Os rebeldes Houthis, apoiados pelo Irão, já revelaram que sequestraram o navio por causa da sua ligação a Israel e levaram a tripulação como reféns. O grupo advertiu que continuaria a atacar navios em águas internacionais que estivessem ligados ou fossem propriedade de israelitas até ao fim da campanha de Israel contra Hamas em Gaza.

"Todos os navios que pertençam ao inimigo israelita ou que com ele negoceiem tornar-se-ão alvos legítimos", afirmaram os Houthis.

O gabinete do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, responsabilizou os Houthis pelo ataque ao Galaxy Leader, com pavilhão das Bahamas, um navio de transporte de veículos associado a um bilionário israelita. Os 25 membros da tripulação são várias nacionalidades, incluindo búlgara, filipina, mexicana e ucraniana, mas nenhum israelita se encontrava a bordo.

Os Houthis disseram que estavam a tratar os membros da tripulação "de acordo com os seus valores islâmicos", mas não explicaram o que isso significava.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Destruição no Iémen: Alvos Houthis atacados

Onda de ataques dos EUA contra alvos Houthi no Iémen

ONU confirma a detenção de 11 funcionários no Iémen