Primeiros-ministros espanhol e belga dizem a Israel que resposta militar não deve pôr em causa civis

Primeiros-ministros belga e espanhol ladeados pelo seu homólogo israelita
Primeiros-ministros belga e espanhol ladeados pelo seu homólogo israelita Direitos de autor AFP PHOTO /LA MONCLOA / BORJA PUIG DE LA BELLACASA
De  Nara Madeira com AP, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Espanha, Bélgica e Reino Unido visitam Israel. O apoio ao país na luta contra o Hamas está garantido mas Pedro Sánchez frisava que é preciso não pôr em causa a vida dos civis.

PUBLICIDADE

Os primeiros-ministros de Espanha e da Bélgica apelaram ao início de uma trégua em Gaza, o mais rapidamente possível para que a ajuda humanitária possa chegar a Gaza, já num momento em que a população corre risco de vida.

Pedro Sánchez e Alexander de Croo fizeram este pedido em Israel. Num encontro com o Presidente, Isaac Herzog, os chefes dos executivos espanhol e belga sublinharam que, embora Israel tenha o direito de se defender, a sua resposta militar não deve causar a morte de civis.

Sánchez frisava que Espanha partilha a dor de Israel, condena e exige a libertação de todos os reféns, mas é preciso garantir que o país respeita o Direito Internacional na resposta aos ataques do Hamas. 

Para o primeiro-ministro espanhol a melhor solução para o conflito é a coexistência de dois Estados, Israel e Palestina, porque "é a melhor maneira de derrotar o terrorismo e de garantir a segurança em Israel".

A visita de Sánchez e Croo faz parte de um périplo que inclui também a Palestina e o Egipto.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido também está numa missão diplomática a Israel. David Cameron visitou um dos kibutz alvo do ataque terrorista do Hamas de 07 de outubro e apelou a que as tréguas sejam implementadas o mais rapidamente possível.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tréguas temporárias Israel- Hamas começam às 07h desta sexta-feira, 13 reféns vão ser libertados

Segundo maior hospital de Gaza não está operacional. Israel quer reféns libertados até ao Ramadão

Israel diz ter descoberto túneis do Hamas debaixo da sede da UNRWA